Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Secretários do AM devem deixar cargos para disputar eleição

Pelo menos dez secretários e gestores de entidades do segundo escalão do Governo são cotados para disputar as eleições

Eron Bezerra, Alessandra Campelo, Wanderley Dallas e Leonel Feitoza estão na lista de pré-candidatos das eleições de outubro

Eron Bezerra, Alessandra Campelo, Wanderley Dallas e Leonel Feitoza estão na lista de pré-candidatos das eleições de outubro (Jornal A Crítica)

A 14 dias do prazo de desincompatibilização para os gestores públicos do primeiro e segundo escalão interessados em se candidatar este ano, apenas os secretários Eron Bezerra e Alessandra Campelo, ambos do PCdoB, anunciaram a saída dos cargos. No entanto, outros oito secretários e gestores de entidades do segundo escalão do Governo do Estado são cotados para colocar os nomes na disputa.

Na lista, constam o ouvidor geral do Estado e deputado estadual licenciado Wanderley Dallas (PMDB); e o diretor-presidente do Detran-AM e ex-vereador, Leonel Feitoza (PSD). Leonel declarou que o futuro político dele será definido pelo governador Omar Aziz (PSD) e ele está preparado para acatar qualquer missão. “Se o partido considerar que é melhor eu me candidatar, irei sair do cargo e concorrer. Se o governador julgar que é melhor eu permanecer no Detran-AM, continuarei”, afirmou.

Nos rigorosos processos internos do PT, terminou na quinta-feira, o prazo final para que os filiados apresentassem seus nomes para a disputa eleitoral de 2014. O diretor-presidente do Iteam, Wagner Santana, formalizou interesse no cargo de deputado estadual para o qual terá que deixar a função pública até dia 5 de abril. No PT, circulou a informação durante a semana de que o secretário de Estado de Mineração, Daniel Nava (PT), também tinha interesse na disputa.

Na Seduc também circula informação de que o titular Rossieli Silva pode disputar uma vaga legislativa este ano. O secretário, embora não tenha dado nenhuma informação oficial sobre a questão, tem todos os instrumentos para participar da disputa. É filiado há mais de um ano no PSD do governador Omar Aziz.

Na SDS, que tem como titular a técnica Kamila Amaral, a mudança deve ser no segundo escalão. O subsecretário Henrique Medeiros deve se desincompatibilizar para disputar mais uma vez uma vaga na Assembleia Legislativa. O gueto eleitoral de Medeiros é em Parintins.

De olho no mesmo eleitorado, a secretária de Estado Extraordinária e mulher do ex-prefeito de Parintins, Bi Garcia (PSDB), Michele Garcia (PSDB) também é cogitada para a disputa deste ano na vaga de deputada federal. A estratégia do PSDB é atrair votos para fortalecer a candidatura do deputado estadual Artur Bisneto para a mesma vaga.

Outro secretário extraordinário que pode deixar o cargo em 14 dias é o ex-prefeito de São Gabriel da Cachoeira, Amílton Gadelha.

Eron Bezerra declarou que já conversou com o governador Omar Aziz sobre a saída dele da Sepror. “Se ele renunciar, sairei junto com ele. Me desincompatibilizo no dia 4 de abril”.

Personagem: Chefe da Casa Civil – Raul Zaidan

“Ideia é a da continuidade”

Embora nunca dispute cargos eletivos, o chefe da Casa Civil e secretário de Governo do Estado do Amazonas, Raul Zaidan, costuma se afastar da função para atuar como tesoureiro nas campanhas. Foi ele quem comandou esta parte da campanha da chapa “Avança Amazonas”, em 2010, que recebeu votação histórica no pleito passado, elegendo o governador, sete deputados federais, dois senadores e a maioria na ALE-AM. Zaidan disse que este ano considera mais importante continuar o trabalho na Casa Civil e Secretaria de Governo. “Se houver mudança, vamos verificar as condições de trabalho. Quem irá decidir é o governador Omar e o vice-governador José Melo, caso Omar saia”. Segundo Zaidan, o clima no secretariado é de tranquilidade. Ninguém teme mudanças radicais porque caso mude o governador a ideia é a da continuidade.


Em números

34 é o número de cargos no primeiro escalão do Governo do Estado. Destes, dez estão com os nomes cotados para deixarem o cargo e disputarem a eleição em 2014.

5 de abril. É o prazo final para que os gestores do primeiro e segundo escalão do Executivo deixem as funções se quiserem se candidatar a cargos eletivos este ano. A eleição será em 5 de outubro.

13 de dezembro de 2013. Foi o prazo dado pelo prefeito de Manaus, Artur Neto, para que secretários/candidatos deixassem os cargos para não contaminar a máquina pública.