Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Transporte aéreo de cargas crescerá 58% até 2020

Menos de 20% da capacidade (em peso) para transporte de cargas nas aeronaves é utilizada e estima-se também que a quantidade de passageiros deve dobrar

O setor vem debatendo as demandas de infraestrutura logística, política de preços, segurança e operação

O setor vem debatendo as demandas de infraestrutura logística, política de preços, segurança e operação (J.Renato Queiroz)

Segundo estudo ABEAR, mesmo com a facilidade que o setor aéreo representa para o transporte em um país com a dimensão territorial do Brasil, a logística de cargas – bens e serviços – por avião ainda é pouco aproveitada. Menos de 20% da capacidade (em peso) para transporte de cargas nas aeronaves é utilizada. E as previsões são tímidas: estima-se que o modal aéreo doméstico cresça 58% até 2020 (se comparado com números de 2012), enquanto o transporte de passageiros irá dobrar de quantidade.

O setor vem debatendo as demandas de infraestrutura logística, política de preços, segurança e operação. Os resultados têm sido favoráveis para o mercado nacional, como avalia Maurício Emboaba, consultor da ABEAR. “O recém-inaugurado equipamento de inspeção por raios-x do Terminal de Carga (Teca) do Aeroporto de Fortaleza/CE (Pinto Martins), por exemplo, representa um avanço. O setor vem trabalhando para atender regulamentações nacionais e internacionais, e isso eleva o nível de segurança para esse tipo de transporte”.

O aparelho é parte de um projeto maior da Infraero, que está investindo mais de R$ 12 milhões para provisionar 10 aeroportos. Além de Fortaleza/CE, os aeroportos de Confins/MG e de Petrolina/PE já receberam o equipamento e os próximos são os terminais de cargas do Galeão/RJ, Manaus/AM, Recife/PE, Belém/PA, Curitiba/PR, Salvador/BA, Vitória/ES.

Para somar aos avanços em segurança, o setor espera que medidas de incentivo sejam aplicadas em breve. “Dados de um levantamento da Oxford Economics para o Grupo de Ação do Transporte Aéreo (ATAG) mostram que cerca de 35% do valor do comércio global passa pelos porões dos aviões no mundo, mas isso representa apenas 5% do volume da carga mundial, o que indica um alto valor agregado do material transportado. Isso mostra que o mercado nacional ainda tem muito espaço para crescer”, afirma Emboaba.

A ABEAR também vem trabalhando junto a órgãos nacionais e internacionais e operadores aeroportuários em um projeto chamado Secure Freight(Carga Segura, em português). O objetivo é garantir que todo o processo logístico seja controlado, desde o exportador-fabricante do produto até o mesmo chegar à aeronave. “Na prática, a carga passará por uma cadeia segura antes de chegar ao aeroporto. Isso dispensa a necessidade de inspeção no terminal e gera eficiência e redução de custos. É o conceito mais moderno do mundo no que diz respeito ao transporte de carga pelo setor aéreo”, conclui.