Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Veículos de grande porte continuam proibidos de passar em trecho da BR-174

A situação no local é precária e uma nova avaliação do DNIT deve decretar se a travessia dos veículos de passeio continua após a chuva desta terça-feira (4)

O transporte rodoviário na única rodovia federal em atividade no Amazonas ficou prejudicado

O transporte rodoviário na única rodovia federal em atividade no Amazonas ficou prejudicado (Érica Melo)

Caminhoneiros, produtores rurais e veículos grandes continuam proibidos de atravessar o trecho do KM 57 da rodovia BR-174 (que liga Manaus a Boa Vista), nesta terça-feira (4), após um desmoronamento de terra de parte da via. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) continua no local e orienta a travessia dos motoristas em veículos de pequeno porte que atravessam o local desde o fim da tarde de segunda-feira (3).

De acordo com o chefe de núcleo de policiamento da PRF, Wirlley Menezes, a situação é precária e uma nova avaliação do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) deve decretar se a travessia dos veículos de passeio continua, principalmente após a chuva desta terça-feira.

O transporte rodoviário na única rodovia federal em atividade no Amazonas ficou prejudicado. Os caminhoneiros e produtores rurais estão parados em ambos os lados da trecho desmoronado e já amargam prejuízos em mercadorias. Produtos perecíveis como frutas e verduras, que abasteceriam feiras e supermercados de Manaus, estão estragando em caminhões que ficaram parados na barreira policial. Eles vivem a incerteza de quando poderão entregar suas mercadorias ou voltar para casa em virtude do desmoronamento.

Ainda segundo o Wirlley Menezes, representantes do DNIT estão realizando as obras de reparo na rodovia e ainda não há uma previsão para o término da interdição da via.

Até a tarde de segunda-feira, pelo menos dez carretas com produtos perecíveis estavam paradas no quilômetro 42, e aguardavam para fazer entregas em Presidente Figueiredo, Boa Vista (RR) e Venezuela, sendo quatro de carne bovina. Outros carregamentos são de iogurte, cebola, e até de cerveja.