Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

‘Uma bela surpresa vai acontecer’, diz José Melo sobre alianças políticas para sua campanha

Declaração do governador é sobre as alianças em torno da pré-candidatura dele à reeleição para o Governo do Amazonas

No dia 28, o Pros de José Melo oficializa quem vai ser o vice na chapa do governador

No dia 28, o Pros de José Melo oficializa quem vai ser o vice na chapa do governador (Agecom)

O governador José Melo (Pros) declarou ontem que uma “bela surpresa” sobre as alianças em torno de sua pré-candidatura ao governo deve ser anunciada nos próximos dias. “Tem uma outra bela surpresa que vai acontecer. Mas, tudo isso é o tabuleiro do xadrez, e se eu falar, eu estou frito”, disse Melo, ao adiantar que hoje o presidenciável Pastor Everaldo Pereira (PSC) anunciará apoio à sua pré-candidatura à reeleição.

A declaração do governador foi dada em entrevista coletiva, após a posse de Yara Lins como conselheira do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), no auditório do órgão. José Melo não quis falar de detalhes sobre a surpresa. “Se eu falasse agora não seria surpresa”, despistou.

De outro lado, na mesma solenidade, o prefeito de Manaus, Artur Neto (PSDB), questionado sobre a pré-candidatura do governador, disse que é possível que ele apóie José Melo. “É possível, sim. Não vejo que não seja possível”, afirmou o prefeito.

A aliança do Pros com  PSDB,  um dos maiores partidos do país e a principal força de oposição à gestão petista no Governo Federal,  figura como uma alternativa de palanque local ao presidenciável tucano Aécio Neves. Dois fatos reforçam os indícios de que essa aliança  poderá ser confirmada: o apoio já confirmado de Artur Neto ao candidato de José Melo ao Senado, o ex-governador Omar Aziz (PSD), e o rompimento do governo com o grupo do PT no Amazonas, que vai apoiar a candidatura do senador Eduardo Braga (PMDB).  Os únicos empecilhos para essa aliança são a certeza que Melo havia dado a Dilma de fazer palaque para a presidente e a aliança nacional do Pros com o PT.

“Eu estou, como todo mundo está, com o tabuleiro do xadrez na minha frente mexendo as peças”, frisou José Melo, que desconversou sobre sua candidatura fazer palanque à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

Artur Neto, por sua vez, descartou aliança com o PP da deputada federal Rebecca Garcia, que mantém conversas para ingressar na chapa capitaneada pelo PMDB. “Cada um segue o caminho que julga melhor”, disse Artur. “Eu desejo apenas que ela faça uma decisão acertada, que a dignifique. É tudo que eu espero. E que seja feliz”, completou o prefeito.

Artur Neto disse também que fará nos próximos dias o anúncio de quem será seu candidato ao governo. O prefeito afirmou que está focado na sua gestão e que não quer deixar a política atrapalhar os trabalhos na prefeitura. “Agora, está chegando a hora de eu próprio exercer o meu papel e seria alienação da minha parte eu não ter uma participação ativa na vida pública. Não significa ser contra ninguém. Passei dessa época de ser contra. Eu sou a favor. Então, eu vou dizer na hora própria, e falta pouco, de quem eu seria a favor”, afirmou.

Segundo o prefeito, a principal característica do candidato que ele vai apoiar é a atenção com a capital. “Ajudar Manaus. Não ajudar Manaus é um pecado mortal para mim, daquele que o papa pode até perdoar, mas eu não perdoo”, disse.

Braga tem mais partidos aliados

Os arranjos  eleitorais começam a desenhar o cenário, que até o dia 30 deste mês deve estar definido. Entre os pré-candidatos, Eduardo Braga conta, até agora, com o maior número de partidos envolvidos na sua pré-candidatura. Já confirmaram apoio de 11 siglas – PMDB, PT, PCdoB, PTB, PDT, PRB, PSDC, PRTB, PTC, PEN e o PPL. Braga também constura aliança com outros três pré-candidatos: Hissa Abraão (PPS), Rebecca Garcia (PP) e Henrique Oliveira (SDD). O senador afirmou qua também tem mantido conversas com o senador Alfredo Nascimento (PR).

 A pré-candidatura de José Melo conta, até o momento, com a adesão oficial de quatro partidos – Pros, PSD, DEM e PRP. Hoje, o PSC confirma aliança com o governador. Os membros do PTN e do PSL estão divididos entre a pré-candidatura dele e a de Braga.  José Melo disse ontem que na sexta-feira a base será ampliada com outras  a adesões.

O Psol foi o único partido até agora a oficializar candidatura. Abel Alves será o candidato da sigla. A confirmação de Marcelo Ramos como candidato pelo PSB está marcada para o dia 20. Os partidos de Hissa Abraão, Chico Preto (PMN), Henrique Oliveira (SDD) e o PSTU deixarão para fazer suas convenções no prazo limite fixado pelo TSE  (dia 30 deste mês).

Conselheiros serão consultados

O governador José Melo informou, ontem, que vai consultar os conselheiros do TCE-AM para escolher o novo procurador-geral de Contas  que substituirá o atual chefe do Ministério Público de Contas (MPC), Carlos Almeida, que deixa o cargo no próximo dia 28. O escolhido fica até 2016 no cargo e pode ser reconduzido para mais dois anos.

 “Vou ter uma reunião com os conselheiros. Eu não quero que seja uma escolha pessoal do governador. Quero que seja uma escolha que possa agradar à corte, que possa agradar os pares”, disse Melo. Questionado pela reportagem, o governador disse que também irá consultar os membros do MPC. “Vou democratizar para que a escolha  recaia sobre aquele que agrade a corte, e que agrade também a classe dos procuradores”, disse.

A CRÍTICA apurou que nos bastidores o nome mais cotado é o da procuradora Fernanda Catanhêde, que é apontada como a favorita de Josué Filho. Outros oito nomes integram a lista dos aptos a ocupar a vaga. São eles: Ademir Pinheiro, Elissandra Freire, Evanildo Bragança, Evelyn Freire, João Barroso, Roberto Krichanã e Ruy Marcelo Alencar.

Personagem: Presidenciável pelo PSC, Everaldo Pereira

Apoio de presidenciável

Pastor da Igreja Assembleia de Deus, o candidato à Presidência da República pelo PSC, Everaldo Pereira, anuncia hoje apoio à pré-candidatura de José Melo ao governo. Everaldo Pereira é vice-presidente nacional do PSC.

O presidenciável  defende menor intervenção estatal na sociedade e menos ministérios. Tem  criticado em discursos a atual política econômica e tributária do Brasil, e afirma  que para promover mudanças no país é preciso a existência de um Estado mínimo.

No Amazonas, o PSC elegeu em 2010 um deputado estadual, Francisco Souza, e um deputado-federal, Silas Câmara. Em 2012, o partido elegeu  dois vice-prefeitos e 26 vereadores. Além do partido evangélico, José Melo também conseguiu à sua candidatura, segundo sua assessoria,  a adesão de cerca de cinco mil líderes  evangélicos da Ordem dos Ministros Evangélicos do Amazonas (Omeam), que representa várias igrejas.

Yara promete buscar a Justiça

Prometendo buscar a justiça na aplicação da lei,  Yara Lins tomou posse no  cargo de conselheira do TCE-AM, em  uma sessão solene no auditório do órgão na manhã de ontem. “Essa é a forma com que sempre atuei e que pretendo atuar como conselheira”, afirmou em seu discurso de posse.

Yara Lins é a segunda mulher a integrar a corte de contas estadual. A primeira foi a ex-senadora Eunice Michiles.  A conselheira destacou sua trajetória no órgão e lembrou que acompanhou as mudanças na legislação, como a Constituição de 1988, a Lei de Responsabilidade Fiscal e a Lei da Transparência. Yara Lins também citou os avanços tecnológicos como passos importantes para aumentar a eficiência dos trabalhos desenvolvidos pela corte. “Por outro lado, é importante ressaltar que as tecnologias não substituem os servidores desta corte – reais responsáveis pelo bom andamento dos feitos. A busca por metas, eficiência e resultados também devem considerar o bem estar do servidor”, disse.

O governador José Melo disse que escolheu Yara por seus méritos técnicos e experiência. “Durante toda sua trajetória de vida, a Yara primeiro procurou saber a realidade dos locais onde os fatos ocorreram. Ela sempre buscou, com a lei ao lado, a justiça, mas com o bom senso que deve prevalecer na vida do bom julgador”, disse Melo.     

Yara Lins foi nomeada na vaga destinada a auditores de carreira, aberta com a aposentadoria de Lúcio Albuquerque, que atingiu no dia 12 a idade máxima para o cargo (70 anos). O TCE-AM tem sete conselheiros e a missão de fiscalizar  e incentivar a correta aplicação do dinheiro público dos órgãos estaduais e municipais.