Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Ano novo: brindando com requinte

Festas de ano novo aquecem vendas de champanhes e espumantes. Algumas garrafas custam mais de R$ 1.400


Chandon é o espumante mais procurado e vendido no Brasil nessa época do ano, e o champanhe Veuve Clicquot um dos mais procurados

Chandon é o espumante mais procurado e vendido no Brasil nessa época do ano, e o champanhe Veuve Clicquot um dos mais procurados (Márcio Silva)

O fim do ano está chegando e uma das formas mais tradicionais de celebrar a ocasião é brindando com espumante ou champanhe. Figuras cativas em eventos festivos, as bebidas são as que mais brindam a chegada de um novo ano ao redor do mundo, tanto que já viraram uma espécie de símbolo da festa. Em Manaus, as adegas oferecem várias opções, com preços que variam de R$ 8 a mais de R$ 1.400.

Feitos na região do noroeste da França, os champanhes são as bebidas mais refinadas e caras do mercado. De acordo com o sommelier Joachim Schnorr, gerente de bebidas e delicatessen da Top Internacional, os mais vendidos na capital são o Veuve Clicquot Brut, de R$ 204, e o Moët Brut Imperial, de R$ 199. “Esses saem mais em quantidade, porém o Dom Perignon Rose Vintage (de R$ 1.099) também é muito procurado”, afirma.

Um champanhe bastante indicado para se tomar em Manaus é o Moët Ice Imperial, que custa em média R$ 250. A bebida foi desenvolvida para ser servida com gelo, o que prolonga a temperatura ideal em locais quentes. A responsável pela adega do Emporium Roma, Leila Simões, diz que a bebida faz bastante sucesso na cidade por essa característica em peculiar.

Os espumantes, disponíveis a preços mais acessíveis, são os campeões de vendas segundo o sommelier Schnorr. O mais vendido, em Manaus e no Brasil, é o brasileiro Chandon, encontrados na cidade por valores entre R$ 20 (Baby Chandon) e R$ 365 (Chandon Brut Rose, com 3000 ml). O segundo mais procurado é o argentino Mumm, vendido em média por R$ 39.

Em terceiro lugar, está o espanhol Freixenet, que custa entre R$ 20 (Freixenet Cordon Negro Brut Beby) e R$ 98 (Freixenet Cordon Negro Twin Pack). Em quarto vem o francês Veuve Du Vernay, vendido em média por R$ 46, e o italiano Asti D.O.C, R$ 35, é o quinto que mais sai em dezembro.

O espumante brasileiro Maria Valduga, vendido no Emporium Roma também é bastante famoso. “Aqui na nossa adega, depois do Chandon, eles são os mais procurados”.

Marcas sofisticadas

Que tal virar o ano bebendo champanhes famosas e associadas à ícones da aristocracia mundial? Em Manaus, muito rótulos famosos podem ser encontrados. O Henri Abelé, por exemplo, vendido por R$ 157, foi o champanhe servido aos ricos passageiros da primeira classe do Titanic. O Piper-Heidsieck Cuvée Rare, também encontrado nas adegas da cidade, era o favorito da rainha Maria Antonieta. Dom Perignon, um dos prediletos da atriz Marilyn Monroe, é vendido na capital por R$ 1.099. Pol Roger, champanhe servido no casamento do Príncipe William e Catherine Middleton é vendido em Mabaus por R$ 1.428.

Definições

Espumante é o termo genérico usado para definir vinhos com gás resultante de fermentação natural. São chamados de "champanhe" os espumantes produzidos na região do mesmo nome, no noroeste da França. Espumantes provenientes de outros países podem ganhar outras denominações específicas, como a “cava” espanhola, o “sekt” alemão, e o “asti” e o "prosecco" italianos, entre outros.

Destaque

Schnorr deu dicas para servir melhor o espumante ou o champanhe no final do ano.Segundo ele, é recomen-dável gelar o copo no freezer e manter a bebida, quando fora da geladeira, em um balde fundo com água e gelo. “Quanto melhor servida a bebida, mais feliz fica quem bebe”, brinca.