Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Suplente de Eduardo Braga é considerado pela Forbes como o político mais rico do Brasil

Lirio Parisotto (PMDB-AM), dono de uma e uma das principais esmpresas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM), detém uma fortuna estimada em US$ 1,9 bilhão, segundo a publicação norte-americana

Luiza Brunet e Lírio foram vistos na madrugada desta quarta-feira (23) em um restaurante luxuoso da capital paulista.

Parisotto desfila ao lado da atriz e ex-modelo Luiza Brunet, com quem é casado (Divulgação)

Dono de uma das maiores empresas instaladas no Polo Industrial do Manaus (PIM), Lírio Albino Parisotto (PMDB-AM), suplente de Eduardo Braga no Senado, foi eleito o político mais rico do Brasil pela revista norte-americana Forbes: o empresário conta com uma fortuna estimada em U$$ 1,9 bilhão (algo em torno de R$ 4 bilhões).

Parisotto nasceu no Sul do País e, apesar de residir em São Paulo com sua esposa, a ex-modelo Luiza Brunet, ele vem a Manaus regularmente. Caso a cadidatura de Eduardo Braga para o cargo de Governador do Estado se confirme, Parisotto seria o responsável por representar do Amazonas na bancada nacional.

A matéria original ambienta o leitor sobre o cenário político brasileiro e explica que a maioria dos nomes que compõem a lista já eram considerados ricos antes de ingressarem na vida pública, já que eles já seriam grandes empresários. Para os dados, o repórter Anderson Antunes consultou dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e outros órgãos, como a DataFolha.

A lista da Forbes segue com os nomes do senador Blairo Borges Maggi (PR-MT), que é dono do grupo Andre Maggi, um dos principais produtores de soja do Brasil. Seu patrimônio é estimado em US$ 960 milhões.

Marcelo Beltrão de Almeida (PMDB-PR) é citado com o terceiro político mais rico. Deputado federal, ele também herdou dinheiro do pai, que foi o fundador da construtora CR Almeida. Estima-se que ele é detentor de US$ 200 milhões.

O prefeito da pequena Lucas do Rio Verde, cidade do Mato Grosso, foi outro citado pela revista. Segundo a Forbes, Otaviano Olavo Pivetta (PDT-MT) possui US$ 100 milhões.

Amados por uns e odiado por outros, o polêmico Paulo Maluf (PP-SP) é o quinto colocado do ranking. Acusado de corrupção e condenado pelo Tribunal de Jersey em 2012 a devolver US$ 32 milhões aos cofres de São Paulo, ele detém uma fortuna que gira em torno de US$ 33 milhões.

Ele e sua família controlam uma das maiores fornecedoras de matéria prima para indústrias de construção e móveis do país.

Leia aqui o texto original na íntegra, em inglês