Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Chibatão deve operar novo entreposto da ZFM no Pará

Única concorrente no processo licitatório, empresa aguarda apenas trâmites finais para ser declarada vencedora

O exercício realizado na manhã de hoje faz parte da programação da Semana do Meio Ambiente do Grupo Chibatão

A partir da homologação do resultado, empresa terá 120 dias para iniciar operações no município paraense

A empresa Porto Chibatão Navegação e Comércio será declarada vencedora do processo licitatório para operar o novo entreposto logístico da Zona Franca de Manaus (ZFM) em Santarém (PA). Após cinco meses de atraso, o processo está na reta final e aguarda apenas o último parecer da Secretaria de Fazenda do Estado do Amazonas (Sefaz-AM) para ser encaminhado à Comissão Geral de Licitação do Estado do Amazonas (CGL-AM).

A empresa de logística foi a única a formalizar a participação no processo de concorrência pública e que permaneceu até o fim dos trâmites para a escolha. De acordo com o secretário executivo da Sefaz-AM, Jorge Jatahy, a expectativa é de que o resultado da licitação seja homologada pela CGL-AM até a próxima semana. “Foi um processo complicado e cheio de desafios, mas que será finalizado em poucos dias. A partir da homologação, a empresa escolhida terá 120 dias (quatro meses) para iniciar a operação da unidade”, afirmou.

Após a licitação, o entreposto será o quarto polo de armazenagem e distribuição de produtos do modelo Zona Franca a ser instalado no País. Hoje, estão em atividade as unidades de Resende, no Rio de Janeiro, de Uberlândia, em Minas Gerais e o de Ipojuca, em Pernambuco. Juntos eles cumprem a função de facilitar o escoamento de produtos do Polo Industrial de Manaus (PIM) para o resto do País e diminuir custos tributários de armazenamento.

Segundo o secretário-executivo, o armazém representará uma redução de pelo menos dois dias no prazo de entrega de produtos ‘made in Amazonas’, em especial, para o Centro-Oeste do País. Atualmente, o processo completo passa primeiramente pelo Sudeste e demora em torno de 18 dias.

Idas e vindas

O edital de licitação pública foi lançado em janeiro deste ano e deveria durar entre 45 e 50 dias. Entretanto, a divulgação do resultado, prevista para a primeira quinzena de março, não ocorreu em função da impugnação do processo licitatório.

Na ocasião, a Sefaz-AM explicou que recebeu questionamentos sobre andamento do processo, sendo o principal deles, o de que não havia imóveis disponíveis em Santarém que atendessem às exigências mínimas de dimensão do terreno expostas no edital (10 mil metros quadrados).

Resolvida a pendência, as empresas ganharam um novo prazo para fazer as adequações e o processo foi destravado. Nem a diretoria do Porto Chibatão e nem Sefaz-AM detalharam o volume do aporte necessário e o cronograma previsto para o início das operações do posto de armazenagem.