Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Falsa acusação de 'assassinato' contra deputado Luiz Castro é desvendada

Deputado apresenta documentos que mostram que ele não matou ninguém em um acidente de trânsito. As falsas acusações foram feitas pelo deputado Ricardo Nicolau

Deputado Luiz Castro apresentou à imprensa o laudo pericial do Instituto de Criminalística que comprova que não houve morte

Deputado Luiz Castro apresentou à imprensa o laudo pericial do Instituto de Criminalística que comprova que não houve morte (Clóvis Miranda)

O deputado Luiz Castro (PPS) apresentou nesta sexta-feira (14), em coletiva à imprensa, documentos que comprovam que ele não foi o responsável pela morte de uma pessoa em um acidente de trânsito em agosto do ano passado, contrariando a afirmação feita pelo deputado Ricardo Nicolau (PSD) de que ele é “assassino”.

Na quinta-feira, os dois protagonizaram um bate-boca no plenário da Assembleia Legislativa (ALE-AM), quando Nicolau acusou Castro de ser assassino.

Luiz Castro fez a coletiva, segundo ele, para revelar “a farsa montada por Ricardo Nicolau”. “O acidente que envolveu meu automóvel aconteceu no dia 5 de agosto (de 2013), a 1h33 da manhã, com meu carro na (avenida) Santos Dumont, com meu filho dirigindo, sóbrio. Nós não havíamos ingerido nem ele nem eu um mililitro de álcool. Estávamos próximos de chegar ao aeroporto quando um carro entrou na contramão e nos jogou para dentro de um barranco”, explicou. “A pessoa que provocou acidente se machucou, mas não morreu”, acrescentou.

Com o laudo pericial do Instituto de Criminalística em mãos, o deputado mostrou que não foi o responsável pelo acidente em que esteve envolvido e nem causou a morte de uma jovem no dia 18 de agosto de 2013 (leia no box) como foi noticiado por um blog, ontem. “São duas situações diferentes”, disse. “São dois carros diferentes, em situações diferentes, em dias diferentes, em horários diferentes, com pessoas diferentes”, completou.

O relatório de viagem apresentado pelo parlamentar mostra que ele esteve fora de Manaus entre os dias 15 e 19 de agosto de 2013. No dia 17, Castro esteve em Itamarati e Eirunepé, no Amazonas, e embarcou às 18h para Rio Branco no Acre, de onde embarcou no dia seguinte para Brasília, no Distrito Federal, para participar de encontro do PPS. Luiz Castro também apresentou o cartão de embarque do vôo entre Boa Vista e Brasília.

Para Luiz Castro, a fraude, segundo ele orquestrada por Ricardo Nicolau, teve o objetivo de desqualificar sua atuação da investigação de crimes de pedofilia no Estado. Segundo Castro, há ligações entre os casos de pedofilia em Coari e os da operação Estocolmo.

Castro lembrou que a pressão dele e de outros deputados para o afastamento de Ricardo Nicolau da corregedoria por conta da denúncia do Ministério Público de superfaturamento de R$ 5,5 milhões de obra da ALE-AM incomodou o corredor.

Família da vítima se manifesta

A vítima do acidente do dia 18 de agosto de 2013 foi a estudante de medicina da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Renata Lobato da Silva. Ela era vizinha do deputado e amiga da família dele. A mãe de Renata, Zolma Lobato, ficou constrangida com a divulgação da imagem do acidente da filha na tentativa de relacionar o acidente co a uma suposta responsabilidade do deputado Castro.

Em nota envidada à reportagem, Zolma afirma que foi “com profundo sentimento de indignação” que a família tomou conhecimento da exposição “sórdida” do acidente que vitimou sua filha. “Em um meio de comunicação, que usou de forma indevida as imagens de uma tragédia para a nossa família”, diz.

“A notícia não condiz com a verdade. O acidente ocorreu no dia 18 de agosto do ano passado, e não houve colisão com outro veículo, portanto não existe qualquer relação com o acidente sofrido pelo deputado Luiz Castro, no dia 5 de agosto”, explica.

“É lamentável que exista em nossa cidade esse tipo de ‘imprensa’ que fabrica informação inverídica e lança comentários levianos em rádio, desrespeitando uma família, com a única intenção de atingir e denegrir a imagem de outras pessoas”, finaliza Zolma na nota.

Nicolau diz que não fez chantagem

Em reposta por e-mail à reportagem, Ricardo Nicolau informou que o processo contra Castro na Corregedoria ainda está em fase de investigação e a que informações estão mantidas em sigilo. “Me pronunciarei apenas após a conclusão das apurações”, disse.

Segundo Nicolau, o laudo apresentado por Castro está sendo analisado. “Mas nele não consta a participação de todos os envolvidos no acidente”, afirma. Nicolau afirma também que não fez chantagem contra o colega. “Nunca houve chantagem alguma. Não tenho motivos para chantagear o deputado Luiz Castro porque não tenho nenhum pedido a fazer a ele. Fizemos questionamentos, formalmente, sobre o acidente”, sustenta Nicolau.

Na entrevista que concedeu ontem, o deputado Luiz Castro fez um apelo para que o governador Omar Aziz (PSD) intervenha na situação. Segundo ele, “a democracia está em risco”.

“Saímos da política para o crime organizado”, afirmou, ao solicitar proteção da Secretaria de Segurança (SSP) para ele, para sua família e equipe de trabalho. “Não sou da polícia e nem do Ministério Público e não sei como lidar com o crime organizado”, afirmou Luiz Castro.

O deputado disse que entrou com “habeas data” na Justiça para ter acesso às informações sobre o processo contra ele na Corregedoria da ALE-AM. Ele disse que pedirá direito de resposta nos veículos em que foi apontado como autor do crime no trânsito. E que vai processar quem o acusou de assassino por injúria, calúnia e difamação.