Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Secretários anunciam saída do Governo do Estado para apoiar Eduardo Braga nas eleições

Ocupantes de cargos do primeiro escalão do Governo do Estado do AM deixaram o posto para entrar na oposição ao candidato José Melo, na disputa eleitoral de 2014

Os sete ex-secretários migraram para a campanha de Braga

Os sete ex-secretários migraram para a campanha de Braga (Reprodução)

Sete secretários de Estado anunciaram saída do Governo do Amazonas para entrar na oposição ao candidato da situação José Melo (Pros), desde que ele anunciou pré-candidatura no segundo semestre de 2013. As baixas seguiram o mesmo rito: entrada na campanha do senador e ex-governador Eduardo Braga na disputa eleitoral de 2014.

Nádia Ferreira, ex-titular da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS), foi a primeira a puxar o cordão dos desertores, em julho de 2013. Logo em seguida, foi nomeada no gabinete de Eduardo Braga no Senado. Desde então é presença constante nas reuniões do PMDB e articulações para 2014.

Os comunistas Eron Bezerra e Alessandra Campelo, respectivamente, ex-secretários de Produção Rural e Esporte, pediram para sair do Governo sob a justificativa legal de poderem se candidatar nas Eleições de 2014. Desincompatibilizaram-se do Governo sem anunciar a qual chapa iriam apoiar e mantendo influência sobre a Sepror e a Sejel.

Sob pressão para adiantarem anúncio de apoio, o substituto de Campelo, Anderson Souza, não chegou nem a esquentar a cadeira e saiu da pasta disparando contra Melo. Anderson acusou o governador de prática de chantagem eleitoral. Duas semanas depois, PCdoB, que insistia em adiar a escolha, anunciou apoio a Eduardo Braga.

Também na época de desincompatibilização, o ex-presidente do Instituto de Terras do Amazonas (Iteam), Wagner Santana (PT), deixou o governo para se candidatar à vaga de deputado estadual. Wagner é filho do presidente do PT, Waldemir Santana, que conduziu o processo interno do PT na decisão de apoiar Braga e ceder a ele o precioso tempo de TV da sigla.

O ex-presidente da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), Pedro Falabella, que morreu no dia 28 de maio, também deixou a autarquia há um mês anunciando o lado em que ia atuar na campanha de 2014: Eduardo Braga.

A última baixa foi a do presidente da Unidade Gestora da Copa (UGP), Miguel Capobiango, que há 20 anos é filiado ao PMDB, sigla da qual é secretário-geral.

Desde que Melo assumiu o Governo como pré-candidato à reeleição e na condição de adversário do candidato do PMDB, Capobiango colocou o cargo à disposição. O Governo tentou que Miguel ficasse na função até o final da Copa do Mundo. No entanto, faltando menos de um mês para o evento, Capobiango não aguentou a pressão da proximidade da campanha e entregou o cargo.