Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Omar afirma não saber se vai disputar o Senado em 2014

Candidatura do governador Omar Aziz (PSD) não é uma decisão tomada, afirmou ele nesta quarta (18), na posse do novo conselheiro do TCE, Josué Filho

Omar e Josué

Na posse de Josué Filho como presidente do TCE, governador Omar Aziz (à esquerda), diz ter muitas coisas para fazer (Érica Melo)

A menos de quatro meses de decidir se deixa o governo para concorrer nas eleições de 2014 ou se permanece no posto até 31 de dezembro do próximo ano, o governador Omar Aziz (PSD) afirmou, nesta quarta (18) que ainda não decidiu se disputará o Senado nas próximas eleições. A declaração foi dada antes da posse do presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM),conselheiro Josué Filho, para o biênio 2014-2015, ato que reuniu autoridades do Executivo, do Judiciário e do Legislativo.

Omar Aziz não descartou a candidatura dele nem da primeira-dama Nejmi Aziz, presidente do diretório municipal de Manaus do PSD. “Não me decidi e eu falo sério. Não brinco com isso. Tenho muitas coisas para colocar em andamento. Sempre digo que não estou fazendo obra para a eleição do ano que vem. Estou fazendo obras que vão ajudar o futuro do Estado do Amazonas. Mas tudo tem o seu momento”, disse o governador.

“Em março, eu tenho que decidir essa questão. Porque eu devo sair nos primeiros... Se eu for candidato, tenho que sair nos primeiros de abril”, disse.

O governador afirmou que existe a possiblidade de Nejmi Aziz concorrer a algum cargo, mas que isso depende legalmente da decisão dele em deixar ou não o Governo do Estado e do desejo da primeira-dama. “Lógico que minha esposa, eu sendo candidato ao Senado, é uma coisa, eu não sendo é outra. Se eu não for candidato a nada, ela não pode ser candidata a nada. Se eu ficar no governo a lei não permite que ela seja candidata a absolutamente nada”, disse. “Mas não vejo por parte dela nenhum grande interesse em ser candidata. Sinceramente, eu conheço bem a mulher que eu tenho e não vejo ela com esses interesses todos. Não é um negócio determinante na vida dela”, completou.

Na avaliação de Omar, o vice-governador, José Melo (Pros), que já anunciou que será candidato, tem chances de ganhar com ou sem o apoio dele. “Ele (José Melo) não está fazendo mal a ninguém. Está tentando se viabilizar e isso é normal”, disse. O governador desconversou quando perguntado sobre qual seria o papel dele como apoiador do candidato à sucessão. “É lógico que o poder de influência de uma liderança é grande, mas não é determinante”, declarou.

Presente na mesma solenidade, o prefeito Artur Neto (PSDB - foto), voltou a afirmar que não será candidato ao governo. Disse que o afastamento de Hissa Abrahão (PPS) da pasta da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) é parte da diretriz da sua gestão. “Quem é candidato sai. Ponto final”, declarou.

Amazonino faz consultoria
Único sem cargo público a compor a mesa na solenidade, a pedido do presidente eleito, o ex-governador Amazonino Mendes (PDT) 0,voltou a afirmar ontem que não concorrerá a nenhum cargo em 2014. Ele disse que atuará como consultor. “Não deixei de ser político. Temos um dever político. O dever político é uma obrigação. Não é direito, é obrigação do cidadão. Esse dever eu vou exercer”, afirmou o ex-governador.

Amazonino disse que mostrará como os políticos podem errar menos. Questionado a respeito de qual seria a candidatura mais acertada declarou:“Isso aí é uma questão que tem que ser discutida internamente nas facções partidárias que estão aí. Não cabe a mim. Eu sou apenas um consultor. Acabei de dizer, sou um consultor. A pessoa me procura e a gente conversa”.