Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

PSB e coligados confirmam apoio a Beto Albuquerque como vice de Marina Silva

Confirmação sobre a nova composição da chapa “Unidos para o Brasil” deve ser feita na tarde desta quarta-feira (20)

Beto Albuquerque é a aposta para vice de Marina Silva

Beto Albuquerque é a aposta para vice de Marina Silva (Divulgação)

A poucas horas do anúncio oficial da nova chapa da coligação “Unidos para o Brasil” (PSB, Rede Sustentabilidade, PPS, PPL, PRP e PHS), parlamentares do PSB na Câmara e no Senado se reuniram em diferentes lugares de Brasília com os responsáveis pela elaboração do documento de apoio ao nome do deputado Beto Albuquerque (RS) como vice da ex-senadora Marina Silva na disputa pela Presidência da República.

A carta do partido, redigida pela senadora Lídice da Mata (PSB-BA), a deputada Luiza Erundina (PSB-SP) e o presidente do PSB, Roberto Amaral, será entregue pela Executiva à sociedade durante a reunião marcada para a tarde desta quarta (20), quando a composição da chapa será oficializada. Além de apresentar a nova composição, a carta deve reafirmar a importância de Eduardo Campos para o partido e compromissos feitos por ele.

“Estamos apoiando integralmente a decisão que está se consolidando no partido, que é a chapa Marina e Beto Albuquerque. Ele é um quadro importante no partido, é parte da história do partido, um militante da juventude do partido. Era um dos principais organizadores da campanha de Eduardo [Campos] e por todas essas razões é importante que ele seja o vice na chapa”, disse a senadora baiana.

Lídice garantiu que, apesar de vários nomes terem sido cogitados para a vaga de vice, Beto Albuquerque foi aceito “com muita naturalidade” e sem qualquer resistência. Para compor a chapa, Albuquerque, que era candidato ao Senado pelo Rio Grande do Sul, teve que abrir mão da disputa no estado.

Na Câmara, o vice-líder do PSB, deputado Dr. Ubiali (SP), confirmou que o apoio à nova composição foi reiterado por todos os parlamentares reunidos na Casa e os que foram contatados por telefone. Dr. Ubiali ainda explicou que a carta do partido não imporá qualquer condição a Marina. “Não há necessidade deste documento. Nós queremos apenas que tudo aquilo que foi proposto por Eduardo seja mantido. Entendemos que ela vai mantê-los porque o compromisso não era de um lado só, era bilateral”, disse.

Para o senador Antonio Carlos Valadares (SE), que também ratificou o apoio, o futuro governo terá que se empenhar em fazer as reformas necessárias para o país, como a política para aproximar os partidos da população e dar mais transparência às regras de financiamento das campanhas. “Reforma política e reforma tributária são instrumentos de uma renovação que precisa acontecer no Brasil de forma urgente”, afirmou.

O presidente Nacional do PHS, Eduardo Machado, chegou a propor os nomes de Ovasco Resende e Luciano Bivar, presidentes nacionais do PRP e do PSL, respectivamente, e o nome da viúva de Eduardo Campos, Renata Campos, para assumir a vaga de vice na chapa encabeçada por Marina Silva.

O presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire (SP), também reuniu a Executiva Nacional do partido hoje para debater a substituição da candidatura presidencial da coligação. No encontro que ocorreu na sede do Diretório Nacional do PPS, em Brasília, Freire lembrou que caberá ao PSB a indicação do vice na chapa e disse que o programa de governo de Eduardo Campos será mantido.