Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Grupo Papaiz estuda vinda para a Região Norte após grande crescimento nas vendas

Uma das marcas mais conhecidas de cadeados e fechaduras do país, a Papaiz, não descarta a possibilidade de trazer uma unidade para o Amazonas; as vantagens tributárias oferecidas pela ZFM funcionam como atrativo

Presidente do Conselho do Grupo, Sandra Papaiz, destaca o interesse na região

Presidente do Conselho do Grupo, Sandra Papaiz, destaca o interesse na região (Reprodução/Internet)

O grupo Papaiz, que responde por uma das marcas mais conhecidas de cadeados e fechaduras do País, realizou recentemente um investimento de R$ 25 milhões na unidade fabril, em Salvador, na Bahia. O objetivo é fortalecer a produção e distribuição dos produtos no Norte e Nordeste, regiões que apontam para crescimento da demanda.

Caso o mercado continue favorável, a presidente do conselho do grupo, Sandra Papaiz, não descarta a possibilidade de no futuro, trazer uma unidade das fábricas para o Norte do País. “Há dez anos, o Norte representava 5% de todo nosso faturamento. Agora, nossas vendas nessa região já chegam a 15%. É um bom crescimento e que inspira observação mercadológica, uma vez que a demanda vinda do sul e sudeste não crescem mais com a mesma velocidade”, explica.

Ela conta que as vantagens tributárias oferecidas pelo modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) funcionam como um grande atrativo de investimentos e é visto com bons olhos. Entretanto, questões como a logística para a região, ainda “pesam” na balança. “Em todo caso, atendemos o mercado desta região há 55 anos, por meio da fábrica de Salvador, que nos aproxima dos distribuidores que abastecem esses estados. Nosso cuidado é no sentido de que esta demanda regional siga avançando”, avalia.

Lançamentos

Com o investimento feito na estrutura industrial em Salvador, a empresa se prepara para o lançamento de produtos em todas as regiões do País. Um dos destaques é a nova série do Active, um cadeado dedicado a praticantes de esportes que acompanha uma pulseira personalizada para guardar a chave durante os exercícios. Ele está previsto para ser lançado em junho.

Uma série de cadeados personalizados para a mulher, também está “saindo do forno”. Assinada pela estilista Adriana Barra, a segunda coleção traz estampas de animais e flores. Outro produto personalizado, que desde fevereiro já pode ser encontrado no mercado, é o cadeado da copa, adornado com o mascote do mundial.

Para a executiva do grupo, os lançamentos são essenciais para a empresa, pois demonstram que mesmo em uma indústria tradicional, como a de cadeados também é preciso inovar. “Sem buscar novidades para o cliente, fica impossível atingir novos públicos”, afirma.

Projeções

O grupo empresarial, que completou 62 anos de existência no último dia 9, fechou o ano de 2013 com um faturamento de R$ 220 milhões, um crescimento de 12% sobre o ano anterior. Juntas, as duas empresas da companhia empregam 1,5 mil trabalhadores, sendo mil funcionários locados na unidade da Papaiz em Salvador e 500 pessoas, na nunidade da udinese, em São Paulo. Para este ano, a previsão da executiva Sandra Papaiz, é de que o faturamento do grupo alcance a meta de crescimento de 16% sobre 2013.