Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Polícia descobre golpe e prende funcionárias que furtaram R$ 55 mil de lotérica em Iranduba

A dupla inventou que assaltantes entraram no local para despistar a polícia, mas foram desvendadas. As duas gastariam o dinheiro com o namorado, que também participou do esquema

Vista aérea da cidade de Iranduba, que fica a 25 quilômetros de Manaus

Vista aérea da cidade de Iranduba, que fica a 25 quilômetros de Manaus (Jimmy Maciel/ Arquivo A CRÍTICA)

Policiais civis da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) do município de Iranduba (27 quilômetros de Manaus) desvendaram um esquema e conseguiram prender em flagrante duas funcionárias de uma casa lotérica da cidade que furtaram cerca de R$ 55 mil do local, valor repassado pelo proprietário. As duas disseram que assaltantes armados haviam roubado um malote, mas tudo não passava de mentira.

Luziene Neves de Sá, 23, Jéssica Araújo da Silva, 22, e o namorado de uma delas, que não teve o nome revelado, participaram do furto à casa lotérica. A duas funcionárias tinham acesso a materiais e dinheiro no estabelecimento e planejaram tudo. Através de câmeras de segurança particulares de uma casa ao lado, os policiais flagraram Luziene e Jéssica carregando um malote.

A lotérica fica em frente à Praça dos Três Poderes, na parte central de Iranduba. “Elas deram uma versão de que tinham sido vítimas de assalto, que homens fortemente armados tinham entrado e levado o dinheiro. Fizeram isso para despistar a investigação”, disse o policial Jerônimo, da 31ª DIP. Apesar da loteria não ter circuito de segurança, câmeras escondidas em uma casa próxima ajudaram a desvendar o esquema.

“As câmeras não mostraram isso, e sim que elas tinham se apropriado do malote”, afirmou Jerônimo. Luziene e Jéssica foram pegas em casa, de endereço não especificado, e no local estavam R$ 12 mil. O resto do dinheiro teria sido queimado, segundo depoimentos. As moças confessaram tudo e disseram que gastariam o valor com o namorado, que foi preso como coautor. Todos foram autuados por furto qualificado e levados à penitenciária de Iranduba.