Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Polícia tenta localizar Adail para cumprir mandado de prisão

Delegados estão reunidos da Delegacia Geral para executar mandado enquanto policiais fazem plantão nos aeroportos de Manaus na tentativa de evitar a fuga dos denunciados

Mandado de prisão preventiva expedido na tarde desta sexta-feira (7) chegou à Delegacia Geral às 18h30

Mandado de prisão preventiva expedido na tarde desta sexta-feira (7) chegou à Delegacia Geral às 18h30 (Evandro Seixas)

O delegado geral do Amazonas, Josué Rocha, se reuniu a portas fechadas com delegados que compõem a cúpula da Polícia Civil por quase duas horas, na sede da Delegacia Geral, no Dom Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus, onde traçaram a estratégia para cumprir os mandados de prisão expedidos para o prefeito de Coari, Adail Pinheiro, e mais cinco pessoas.

Os mandados de prisão preventiva expedidos na tarde desta sexta-feira (7) pelo desembargador Djalma Martins só chegaram à Delegacia Geral por volta das 18h30 e, segundo a Constituição Federal, os mandados de prisão em residências só podem ser cumpridos até as 18h ou depois do nascer do sol, de manhã.

Como não se sabe a localização exata de Adail – Manaus ou Coari –, equipes da Polícia Federal e Grupo FERA (Força Especial de Resgate e Assalto) montaram guarda nos pontos de embarque do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, Aeroporto Regional Eduardinho e Aeroclube para evitar possíveis fugas dos acusados, segundo informou a assessoria de comunicação da Polícia Civil.


A assessoria de comunicação de Adail Pinheiro disse que o prefeito só irá se manifestar através de sua assessoria jurídica, que ainda não teve acesso ao conteúdo integral da decisão judicial para formular uma defesa.

A polícia informou que os advogados de Adail pretendem conseguir na Justiça o direito de prisão especial, e levá-lo para o quartel da Polícia Militar.

Os mandados de prisão foram expedidos com base em novas denúncias do MP sobre o possível envolvimento do prefeito de Coari e outras seis pessoas em uma quadrilha de exploração sexual de crianças e adolescentes.