Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Portabilidade eletrônica do crédito entra em vigor no país nesta segunda-feira (5)

Medida do Banco Central brasileiro busca estimular a concorrência no setor e o acesso a melhores taxas e condições de pagamento para os clientes; entenda como funciona

BC diz que portabilidade do crédito vai aumentar a disputa entre as instituições financeiras

BC diz que portabilidade do crédito vai aumentar a disputa entre as instituições financeiras (Reprodução/ Internet)

A portabilidade eletrônica de crédito começa a vigorar em todo o país a partir desta segunda-feira (5), permitindo aos clientes do sistema financeiro nacional transferir dívida entre bancos sem a cobrança de custos adicionais.

Em nota publicada nesta segunda-feira, o Banco Central disse que a portabilidade do crédito vai aumentar a disputa entre as instituições financeiras. O mecanismo de transferência de dívida de uma instituição para outra foi institucionalizado em setembro de 2006.

"A medida visa estimular a concorrência no setor e permite que os clientes tenham acesso a melhores taxas e condições de pagamento", disse o BC por meio de nota.

A autoridade monetária afirmou que para fazer a transferência da dívida basta ao cliente negociar com outro banco a concessão de crédito para liquidação do débito e identificar o banco credor e a operação original, dispensando qualquer providência adicional.

Ainda de acordo com o BC, é obrigatório o uso de sistema eletrônico para troca de informações entre o banco credor original (onde a dívida será liquidada) e o banco que irá ofertar o novo crédito para liquidação da operação original.

Na portabilidade, o valor e o prazo da nova operação devem ser limitados ao valor do saldo devedor e ao prazo remanescente da operação original.

O banco credor original tem prazo de até 5 dias úteis para se manifestar quanto à manutenção do cliente ou envio das informações ao banco que assumirá a dívida.

Na execução da operação, o BC esclarece que os bancos não podem repassar ao cliente os custos da transferência de recursos entre as instituições envolvidas.