Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Prefeito Artur Neto critica provincianismo de Manaus

Prefeito volta a defender o aumento de andares dos prédios de 18 para 25 e ataca o que chamou de “provincianização”


O prefeito de Manaus, Artur Neto (PSDB), voltou a defender a verticalização da cidade proposta pela prefeitura no Plano Diretor. “Tenho minha opinião, muito firme, contra a provincianização de Manaus. A cidade de Manaus não pode ser como Sertãozinho, que eu nem sei onde fica, que tem o limite de 18 andares”, repetiu o prefeito.

Artur Neto disse que o aumento do limite máximo para 25 andares ainda é uma proposta conservadora e que é necessária para não “engessar o crescimento da cidade”. “E para não engessarmos o setor que é um dos maiores empregadores daqui”, disse, referindo-se ao setor da construção civil.

Da mesma forma que o relator do Plano Diretor na Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Elias Emanuel (PSB), o prefeito cita a importância econômica do setor, em meio às críticas de que o plano atenderia a interesses do segmento. “Se a gente cria embaraço para esse setor, vai ter desemprego, vai ter problema social grave e queda de renda para o município”, afirmou.

 

Implurb

Em resposta a pedido feito na terça-feira por A CRÍTICA, o diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Roberto Moita, informou ontem que é fundamental criar um vetor de crescimento para dentro. “Ou seja, reduzir o crescimento horizontal e esprairado da cidade”, frisou.

Moita defende que o texto do Plano Diretor propõe uma cidade democrática, onde a maioria poderá viver em áreas com infraestrutura e serviços urbanos,  possibilitando a habitação de interesse social na área intra-urbana, o que, segundo ele, evitaria a formação de periferias “excludentes e injustas”.

O titular do Implurb afirma que as avaliações de especialistas sobre perigos da verticalização são alarmistas e cientificamente pouco aprofundadas. “O que promove aquecimento é a simples existência da cidade, com supressão vegetal, asfalto, áreas impermeabilizadas, construções etc. Quem melhora o micro-clima é a preservação de fragmentos florestais urbanos, a promoção de arborização e as restrições à impermeabilização do solo: mais verde é igual a um melhor clima. E isso o plano prevê”.

Propina

“Ele é uma pessoa responsável que sempre fala com muita segurança”, disse o prefeito Artur Neto ao comentar ontem denúncia feita pelo  advogado e presidente do Conselho de Gestão Estratégica da Prefeitura de Manaus, Félix Valois, de que quatro homens que se apresentaram como vereadores a um empresário do ramo da construção e pediram propina para a aprovação da proposta de aumentar para 25 andares a altura máxima dos prédios da capital.

“Eu aguardo o desdobramento das coisas”, disse descartando que a discussão em torno do caso tenha influenciado sua posição sobre a verticalização.