Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Regiões Norte e Nordeste lideram inadimplência em março, aponta SPC Brasil

Dívidas bancárias respondem pela maior parte das contas em atraso, aponta levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) 

Com relação ao resultado do primeiro trimestre, os analistas ponderam que o resultado foi muito inferior ao registrado no primeiro trimestre do ano passado

O ano de 2013 foi um período de baixo crescimento econômico para a região Norte (J.Renato Queiroz)

No mês de março, o número de consumidores inadimplentes nas regiões Norte e Nordeste cresceu 8,69% e 8,12%, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são do indicador mensal de inadimplência regional calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

A única região do país que registrou aumento inferior à média nacional (6,58%) foi a Sudeste, cujo crescimento apurado foi de 5,25%. Os Estados do Sul apresentaram alta de 7,55% no número de pessoas inadimplentes e a região Centro-Oeste, crescimento de 6,64%.

Na avaliação da economista do SPC Brasil, Luiza Rodrigues, o ano de 2013 foi um período de baixo crescimento econômico para a região Norte, fato que somado ao maior acesso ao crédito nos últimos anos, pode ter contribuído para a forte alta de inadimplentes verificada no mês passado. "Entretanto, dados mais recentes mostram uma retomada da atividade econômica, o que pode reverter parcialmente esse quadro nos próximos meses", pondera a economista.

Com relação à região Nordeste, novamente, o maior acesso ao crédito aparece como fator relevante para explicar, parcialmente, o crescimento da inadimplência. Isso ocorreu apesar de os indicadores de atividade mostrarem que a economia local cresce a um ritmo superior a média nacional. "Mesmo com o desemprego em baixa e o aumento das contratações formais, algumas regiões, como o Nordeste, têm apresentado aceleração da inadimplência. O dado surpreende e preocupa", afirma Luiza Rodrigues.

*Com informações da assessoria