Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Servidores da Ufam aprovam indicativo de greve para 1ª quinzena de março

Categoria critica cumprimento parcial, por parte do governo, que deu aumento de apenas 5% aos técnicos e redução da jornada de trabalho de 40 horas para 30 horas semanais

Técnicos-administrativos da Ufam se reuniram em assembleia

Técnicos-administrativos da Ufam se reuniram em assembleia (Divulgação/ Adua)

Os técnicos-administrativos da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) aprovaram indicativo de greve para a 1ª quinzena de março. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (29), em Assembleia Geral, realizada no Auditório Paulo Burhein, no setor Sul do Campus Universitário, em Manaus. O resultado da deliberação será encaminhado à Plenária Nacional da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativo em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra), que vai ocorrer nos dias 8 e 9 de fevereiro, em Brasília.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Superior do Estado do Amazonas (Sintesam), Carlos Almeida, a decisão da categoria foi motivada pelo cumprimento parcial, por parte do governo, de acordo firmado ao final da greve de 2012. “Só estão cumprindo com o aumento de 5%”, disse. 

Segundo Almeida, falta atender ainda ao item sobre aprimoramento da carreira dos servidores e de redução da jornada de trabalho, de 40 para 30 horas semanais, constante da pauta acordada. “Com a redução, deveriam ser criados turnos de trabalho, o que mais adequado para atender a população”, avalia o presidente do Sintesam.

Na pauta específica da categoria, os técnicos rejeitam também a adesão da universidade à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e pedem o fim da perseguição e criminalização da luta dos trabalhadores. “Se deixarmos o indicativo de greve para um período mais distante, fica difícil em virtude da realização da Copa e das Eleições”, afirmou, acrescentando que, apesar do “calendário especial”, a luta dos servidores não pode parar.

No eixo geral da pauta dos trabalhadores, consta ainda a definição da data-base em 1º de maio, negociação coletiva e a liberação para o exercício do mandato classista, além de uma política permanente de reposição inflacionária, valorização do salário base e incorporação das gratificações.

Delegados

Durante a AG, os técnicos escolheram dois representantes da categoria para atuar como delegados na Plenária Nacional da Fasubra, com direito à voz e voto. Participarão do evento o presidente do Sintesam, pela diretoria, e o técnico João Araújo, pela base. Na pauta nacional já está inclusa a discussão sobre o indicativo de greve para março, considerando a avaliação feita pelos sindicatos nos Estados.

Uma nova AG do Sintesam está prevista para ocorrer no dia 12 de fevereiro, quando os técnicos pretendem avaliar o resultado da Plenária Nacional e deliberar sobre a manutenção do indicativo. O local do encontro ainda não foi definido.

*Com informações da assessoria da Adua