Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Líder sul-africano símbolo da luta contra o Apartheid, Nelson Mandela morre aos 95 anos

Madela foi o primeiro presidente negro da África do Sul. Ele vinha lutando contra um câncer há tempos

A morte do líder sul-africano possivelmente foi causada por uma infecção respiratória

A morte do líder sul-africano possivelmente foi causada por uma infecção respiratória (Agência Brasil)

Símbolo da luta contra o regime do Apartheid na África do Sul, Nelson Rolihlahla Mandela morreu nesta quinta-feira (5) aos 95 anos (1918-2013). Mandela era advogado e foi o primeiro presidente negro eleito na África do Sul (1994 a 1999). Ele vinha sofrendo de problemas respiratórios e estava recebendo cuidados médicos em casa.

Considerado como o mais importante líder rebelde da África Negra, Mandela foi ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 1993 e Pai da Pátria da moderna nação sul-africana. Mandela ficou exilado durante 27 anos por lutar contra o sistema segregacionista branco do Apartheid e por defender os direitos da população negra no próprio país. Ele foi libertado em 1990.

Pelo seu trabalho “a serviço da humanidade” e em defesa dos direitos humanos, a Organização das Nações Unidas (ONU) estipulou o Dia Internacional Nelson Mandela na data em que ele nasceu: 18 de julho de 1918. Mandela não era visto em público desde a realização da Copa do Mundo na África do Sul, em julho de 2010.

"Esta nação perdeu um grande filho", disse o atual presidente da África do Sul, Jacob Zuma. "Sejamos conscientes dos desejos dele [Mandela] e de sua família. Enquanto nos reunimos, em qualquer parte do país ou do mundo, vamos recordar os valores pelos quais Madiba lutou", disse Zuma.

Segundo informações da agência pública de notícias sul-africana, Madiba, como Mandela era conhecido, morreu na companhia de parentes. As bandeiras do país ficarão a meio mastro a partir de amanhã (6) e o funeral será sob as honras de chefe de Estado, informou a Agência Brasil. O local onde será realizado o enterro dele ainda não foi divulgado.

*Com informações da Agência Brasil