Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Situação de travestis detidas em Dubai ganha repercussão nacional

Sites de notícias, rádio e TV divulgaram caso das amazonenses, que continuam aguardando providências do Itamaraty

Os cabeleireiros e maquiadores Karen Mke*, 38, e Kamilla Satto*, 33, (*nomes artísticos) foram para Dubai em uma viagem turística no fim de novembro

Os cabeleireiros e maquiadores Karen Mke*, 38, e Kamilla Satto*, 33, (*nomes artísticos) foram para Dubai em uma viagem turística no fim de novembro (Reprodução/Facebook)

A situação dos travestis amazonenses Karen MKe, de 38 anos, e Kamilla Satto, de 33 anos, presos na cidade de Dubai, Emirados Árabes, ganhou espaço em vários sites nacionais de notícias nesta quarta (22), depois que o Portal A CRÍTICA mostrou o caso.

No espaço “Cotidiano”, na Folha de S. Paulo, a informação aparece desde a noite de terça (21), horas depois da matéria aparecer pela primeira vez no Portal A CRÍTICA. No portal UOL e no site, assim como no programa de rádio, da rede CBN, também foram divulgadas matérias sobre o caso de Karen e Kamilla.

O blog do jornalista Luis Nassif, no jornal online GGN, reproduziu um artigo de Jorge Nogueira Rebolla, do site "Vermelhos Não", em que usa o caso de Karen e Kamilla para fazer críticas ao deputado federal Jean Wyllys (PSOL/RJ), por ainda não ter se manifestado sobre a situação.

Sites de notícias de outros estados, como o carioca Extra e o matogrossense CenárioMT também repercutiram a notícia. Na televisão, a apresentadora Ana Maria Braga mencionou o caso.

Espera

A situação de Karen e Kamilla em Dubai, por enquanto, continua a mesma. O Portal A CRÍTICA fez um novo contato com a assessoria de comunicação do Itamaraty, para saber se o órgão já havia tomado alguma providência sobre o julgamento das duas travestis, mas não obteve retorno.

À noite, a presidente da Associação Nacional de Travestis e Transexuais do Brasil (ANTRA), Cris Stefanny, enviou ao Portal uma nota de repúdio, por considerar que a cobertura do caso foi “despreparada” e tinha “falta de coerência” ao abordar a situação, criticando sobretudo o emprego do gênero masculino para se referir a Karen e Kamilla.

O Portal A CRÍTICA enfatiza o respeito aos fatos e a apuração rigorosa do caso, bem como a sua divulgação, no sentido de levar ao conhecimento do público e das autoridades competentes a situação de apreensão vivida por Karen e Kamilla nos Emirados Árabes, na expectativa de colaborar para a sua resolução.

Entenda o caso

Os dois travestis amazonenses tiveram os passaportes confiscados pela polícia de Dubai após serem expulsas por seguranças de uma boate, no mês de dezembro do ano passado. A dupla permaneceu detida por dois dias após o incidente e atualmente aguarda julgamento do caso para saber se volta ou não ao Brasil. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, elas violaram a legislação local, que não permite a circulação de travestis, e podem ser deportadas de acordo com a decisão.