Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Após acidente, trabalhadores da Reman fazem paralisação por melhorias na segurança

Depois da explosão que deixou o técnico em operações Antonio Rafael Santana, de 24 anos, em estado gravíssimo, operários da refinaria exigiram uma reunião com a diretoria local da Petrobras. Estado da vítima segue gravíssimo

Refinaria Isaac Sabbá é novamente palco de uma explosão vitimando trabalhadores.

Refinaria Isaac Sabbá é novamente palco de uma explosão vitimando trabalhadores, o que gerou revolta nesta terça (19) (Reprodução/internet)

Cerca de 700 funcionários da Refinaria de Manaus Isaac Sabá (Reman) cruzaram os braços na manhã desta terça-feira (19), para pedir melhores condições de segurança, três dias após o acidente que quase vitimou o técnico em operações Antonio Rafael Santana, 24, que segue internado no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto.

Durante o ato, os funcionários - que prestam serviços para a Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras) no local, também conhecido como Refinaria de Manaus - exigiram uma reunião com a diretoria local da empresa, para tomar providências definitivas sobre o risco de acidentes.

Segundo Cícero Custódio, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção Civil de Manaus e do Amazonas (Sintracomec), que apoiou a paralisação, o protesto desta terça-feira "foi um basta contra o descaso da Petrobras com a segurança na Reman".

“Os trabalhadores estão revoltados, já que essa não é a primeira nem a segunda vez que acidentes com vítimas acontecem no local. É preciso urgentemente revisar os procedimentos e colocar mais pessoas especializadas pra cuidar da segurança, para que a gente não veja mais ocorrências fatais”, explica.

O representante do Sindicato dos Trabalhadores de Petróleo do Amazonas (Sindipetro), Marcos Vinicius Ribeiro, contou que a paralisação fez com que membros da diretoria local fossem à Reman conversar com os funcionários. “Uma comissão foi formada pra fazer a perícia desse acidente, com três ou quatro dias pra concluir os trabalhos. Os diretores também prometeram revisar toda a segurança da refinaria”, esclarece Marcos.

Trabalhador atingido por explosão luta pela vida

No Pronto-Socorro 28 de Agosto, onde Rafael Santana segue internado, a situação continua crítica. Segundo um parente da vítima, Rafael teria sofrido duas paradas cardíacas ao longo desta segunda-feira (18), agravando o seu estado já bastante delicado, e impedindo a sua transferência para um hospital carioca, onde ele teria melhores condições de tratamento.


O uniforme totalmente queimado usado pelo técnico em operações mostra a dimensão do acidente (Reprodução/Internet)

Na noite de sábado (16), Rafael iria fazer uma ronda nas instalações da Reman quando, ao tentar ligar o carro, o veículo explodiu. Informações preliminares deram conta de vazamento de gás na refinaria, mas a informação só será confirmada com a perícia da Petrobras. O trabalhador teve 75% do corpo queimado.

A refinaria Reman tem um histórico de acidentes fatais graves envolvendo trabalhadores. Em dezembro de 2013, uma explosão feriu três operadores da empresa de uma só vez.  Em setembro de 2010, a técnica de operação Renata Benigno foi vítima de um grave acidente na refinaria e morreu após 10 dias de internação.