Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Traficante ‘Nanico’ é mandado de volta a Manaus

Alan Castimário, o 'Nanico', Genildo Saraiva, o 'Candiru', e Gregório Alves, o 'Mano G', membros da facção criminosa Família do Norte, chegaram nesta terça (10) à capital, por decisão de juiz federal do RN

Nanico

‘Nanico’ é apontado como traficante e um dos líderes da facção criminosa Família do Norte, ‘braço’ do PCC na região (Luiz Vasconcelos - 18/mai/2011)

A Justiça Federal do Rio Grande do Norte “devolveu” nesta terça (10) os integrantes da facção criminosa Família do Norte (FDN) Genildo da Silva Saraiva, o “Candiru”, Gregório Graça Alves, o “Greg”, ou “Mano G”, e Alan de Souza Castimário, o “Nanico”, que há cinco meses estavam cumprindo pena no presídio federal de Mossoró (RN). Eles deveriam ter fica lá, pelo menos, durante dois anos, mas por falhas das autoridades do Amazonas, foram mandados de volta.

Os três criminosos desembarcaram por volta das 23h de ontem no aeroporto internacional Eduardo Gomes, trazidos por um voo da empresa Gol, e foram recebidos por forte esquema de segurança. O destino dos presos não foi revelado por motivos de segurança.

O retorno dos presos foi motivado pelo não cumprimento, pela Secretaria de Justiça e de Direitos Humanos (Sejus), de requisitos exigidos para que os três criminosos do Amazonas permanecessem em Mossoró, e também porque o juiz da Vara de Execuções penais (VEP), Luís Carlos Valois, não suscitou o conflito de competência para que os mesmos continuassem no presídio federal.

Ontem, por telefone, o diretor do presídio federal de Mossoró, identificado como “Benício”, prometeu que falará sobre o caso hoje, depois que os presos já estiverem em território amazonense. “No momento não posso falar porque tudo está sob segredo de Justiça”, disse Benicío.

Os três presos são considerados de alta periculosidade e líderes da facção criminosa exercendo comando nas cadeias do Estado. A justificativa para a transferência dos presos era que os mesmos desestabilizavam o funcionamento das unidades prisionais do Amazonas.

Nanico e Mano G estão presos há um ano e, durante o tempo que estiveram cumprindo pena nas unidades prisionais de Manaus, foram acusados de comandar, fugas, rebeliões e também de serem os mandantes da morte do traficante de droga Frank Oliveira, o “Frankzinho do 40”, que foi morto a tiros, esquartejado e jogado nas águas do rio Negro, em duas malas.

A dupla foi presa no final do ano passado em uma casa localizada no conjunto residencial Jardim de Versalhes, bairro Planalto. Com eles a polícia apreendeu um arsenal de armas de grosso calibre, munições, uma grande quantidade de droga e de dinheiro.

Um outro preso que deverá retornar de presídio federal para Manaus é o líder da maior rebelião do Sistema Penitenciário do Amazonas, o traficante Gelson Carnaúba, que foi condenado há mais de 100 anos de prisão.

Presos com arsenal, drogas e dinheiro
A dupla Nanico e Mano G foi presa no final do ano passado em uma casa localizada no conjunto residencial Jardim de Versalhes, bairro Planalto. Com eles a polícia apreendeu um arsenal de armas de grosso calibre, munições, uma grande quantidade de droga e de dinheiro.

Mano G é conhecido no mundo do crime por ser sobrinho o traficante de droga Antônio Mota Graça o “Curica”, que desde a década de 80 comandou o tráfico no Estado e chegou a ser personagem de uma matéria na revista Veja, citado como uma espécie de “Fernandinho Beira Mar do Amazonas”.

Candiru é apontado como o pistoleiro de Nanico. Ele foi preso uma semana depois da maior fuga de presos do Brasil, ocorrida em julho deste ano, quando 176 presos escaparam do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), localizado no km 8 da BR-174, em Manaus.