Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Tratamento para asma deve ser feito na rede pública

Especialistas querem que pacientes asmáticos sejam atendidos em programas de saúde pública como o de diabetes

Ampliar a rede de assistência ao asmático é urgente, diz Socorro Cardoso

Ampliar a rede de assistência ao asmático é urgente, diz Socorro Cardoso (Antonio Lima)

No Dia Mundial da Asma, que vai acontecer este ano no próximo dia 6 de maio, terça-feira, os pneumologistas querem chamar a atenção das autoridades para importância de garantir o atendimento aos pacientes em unidades básicas de saúde. Ao destacar que anualmente morrem no Brasil cerca de 2,5 mil pessoas em decorrência de insuficiência respiratória, a pneumologista Socorro Cardoso, professora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), reivindica a oferta nas unidades básicas de saúde da rede municipal e estadual do tratamento contra a doença, a exemplo do que foi feito com doenças como o diabetes e a pressão alta.

Ao lembrar a importância do controle da doença, que é feito com medicamentos disponíveis na rede pública e nas farmácias populares, Socorro afirma a necessidade de ampliar a oferta de atendimento para reduzir as internações e as mortes.

Pacientes atendidos apenas no Araújo Lima

Hoje o atendimento contínuo contra asma é feito  no Ambulatório Araújo Lima, da Ufam, onde são acompanhados mais de 1,6 mil pacientes, por meio do Programa de Assistência e Controle da Asma (Paca). Segundo Socorro Cardoso, por ser uma doença de tratamento prolongado, há dificuldade de adesão do paciente, que deixa de usar o remédio quando sai da crise, o que dificulta o controle.


Mal incurável

A asma não tem cura, porém é controlável. Nas crises, acontece a redução do brônquio (sistema de passagem do ar) e a musculatura se contrai, dificultando a respiração. As causas mais comuns são poluição do ar, ácaros e poeira doméstica.


Por isso, o Dia Mundial da Asma foi idealizado para ser uma data de mobilização, que busca educar os pacientes com asma e seus familiares sobre a doença, abordando informações acerca dos sintomas, tratamento e a prevenção de crises. “A asma é uma inflamação crônica dos brônquios causada pela hipersensibilidade das vias aéreas a uma variedade de estímulos. Ela caracteriza-se por sibilância (chiado) no peito, falta de ar, tosse, secreção transparente e opressão torácica que acontece em episódios freqüentes”, explicou. As mortes acontecem porque as pessoas só costumam procurar o sistema de saúde quando estão em crise e às vezes não há tempo para a medicação fazer efeito, adverte a especialista.

Diagnóstico

Socorro, que é doutora no tema, revela que o diagnóstico de asma é dado geralmente a partir dos 3 a 4 anos de idade. Enquanto na infância a doença se manifesta mais com tosse crônica, no adulto o sintoma mais característico é o da falta de ar.

A medicação é toda inalatória e tem bons resultados, com reduzidos efeitos colaterais. Há um bom arsenal de remédios para asma, que são os broncodilatadores, e se há uma inflamação tem que usar o corticóide inalatório. A ingestão é feita por meio de bombinha ou com aparelhos próprios para usar a medicação.