Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Usuários sofrem com ‘apagão’ no serviço de internet da NET, em Manaus

Problema registrado em fibra óptica há dez dias deixa o serviço lento na cidade; trabalhadores que têm na rede sua principal plataforma de atuação reclamam dos prejuízos

Os empresários podem utilizar o sistema por meio do site www.safiraerp.com.br de modo até mesmo gratuito

Além da internet, o sinal de celular da operadora TIM em Manaus também anda oscilando após a pane (Leandro Tapajós )

Uma pane ocorrida no serviço de internet da operadora NET em Manaus, no último dia 22 de agosto, chega ao décimo dia sem expectativa de solução. Segundo aempresa, uma ruptura na rede de fibra óptica em Porto Velho (RO) é a principal responsávelpela má qualidade do sinal.

A situação é ainda mais complicada pelo fato de a Net ser a principal fornecedora do serviço em Manaus, alimentando os provedores de empresas e usuários domésticos, que amargam os prejuízos da falta de cobertura.

Trabalhadores que utilizam a rede como sua principal plataforma de atuação falaram ao Portal A CRÍTICA sobre comoo problema vem atrapalhando suas atividades domésticas e profissionais. Para o diretor de arte Marcelo Rhenzo, de 37 anos, o serviço simplesmente sumiu desde a semana passada. “Nem no celular eu consigo acessar a rede pra checar meus e-mails ou falar com meus clientes”, explica. Marcelo atua principalmente na internet, planejando e alimentando os perfis de seus clientes nas redes sociais. “Tô chegando a fazer uma ‘mandinga’ aqui pra ver se a internet ‘pega’, no desespero mesmo”, desabafa.

Ele chegou a trocar de operadora uma vez, mas, diante do serviço ainda mais falho, voltou para a NET. “Você paga um absurdo por um serviço que não entrega o produto combinado. Espero receber ao menos o pacote de rede previsto no plano, mas nem isso eu tenho”, reclama o designer.

Para Fernanda Fernandes, 24, que  trabalha como caixa em um restaurante, a situação ficou mais crítica nesta segunda-feira (1º), quando o serviço de internet do estabelecimento simplesmente bsaiu do ar. “Quem trabalha com caixa depende da internet pra emitir a nota fiscal do consumidor. Como hoje passou o dia sem sinal, todo o trabalho foi prejudicado, e a empresa teve prejuízo. A situação só foi melhorar agora à noite”, explica.

Já Tatiane Seixas, 35, que trabalha com artesanato e vende seus produtos online, anda em compasso de espera. “Uso principalmente o celular para acessar a internet, e desde o fim de semana que eu não consigo acessar nem meu e-mail nem as redes sociais. Assim, meu trabalho caiu, porque não tenho como manter contato com os compradores”, revela.

Tatiane e Marcelo também se queixam do serviço de telefonia celular da operadora TIM, que também teria sido afetado pelo problema em Rondônia. “Até ligar para as pessoas está difícil”, queixa-se Marcelo.

Após a pane inicial, a NET prometeu devolver o serviço à normalidade ainda no dia 22, mas a situação continua precária. O Portal A CRÍTICA entrou em contato com a empresa nesta segunda, a fim de saber se há uma previsão para o retorno do serviço, mas a operadora informou que só poderá se pronunciar sobre o assunto nesta terça (2).

Acessos em banda larga chegam a 165,5 milhões em julho no Brasil

O Brasil chegou a julho com 165,5 milhões de acessos em banda larga, o que representou um crescimento de 50% frente a julho do ano passado. Segundo levantamento da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), nos últimos doze meses, 55 milhões de novos acessos foram ativados, num ritmo de ativação de 1,8 nova conexão por segundo.

A banda larga móvel, pelas redes de 3G e 4G, liderou a expansão dos acessos à internet, chegando em julho a 142,1 milhões de conexões, com 60% de crescimento em relação a julho de 2013. Com esses dados, o Brasil já tem mais celulares com acessos em banda larga do que terminais móveis sem acesso à internet rápida.

Na banda larga móvel, 126,2 milhões são de conexões de celulares, incluindo os smartphones, e 15,9 milhões são terminais de dados, entre eles modems de acesso à internet e chips de conexão máquina-máquina (M2M). A banda larga pela tecnologia de quarta geração (4G), que permite velocidade de conexão à internet até dez vezes mais rápida que a 3G, já conta com 3,6 milhões de acessos.

Na banda larga fixa, os acessossomaram 23,4 milhões em julho. Desse total, 2 milhões de conexões foramativadas nos últimos doze meses, com crescimento de 9,2% no período. A infraestrutura de banda larga fixa está presente em todos os municípios brasileiros.

A expansão também se deu na cobertura das redes de banda larga móvel, ativada em 342 novos municípios nos últimos doze meses. Ao todo, as redes de terceira geração estão instaladas em 3.756 municípios, onde moram 92% dos brasileiros. O 4G já chega a 119 cidades, que concentram 39% da população brasileira. Essa cobertura supera em muito a meta prevista, de atendimento de 45 cidades com mais de 500 mil habitantes.


Renildo Rodrigues

Uma paneocorrida no serviço de internet da operadora NET em Manaus, no último dia22 de agosto, chega ao décimo dia sem expectativa de solução. Segundo aempresa, uma ruptura na rede de fibra óptica em Porto Velho (RO) é a principal responsávelpela má qualidade do sinal.

A situação é ainda mais complicadapelo fato de a Net ser a principal fornecedora do serviço em Manaus,alimentando os provedores de empresas e usuários domésticos, que amargam osprejuízos da falta de cobertura.

Trabalhadores que utilizam a redecomo sua principal plataforma de atuação falaram ao Portal A CRÍTICA sobre comoo problema vem atrapalhando suas atividades domésticas e profissionais. Para odiretor de arte Marcelo Rhenzo, de 37 anos, o serviço simplesmente sumiu desdea semana passada. “Nem no celular eu consigo acessar a rede pra checar meus e-mailsou falar com meus clientes”, explica. Marcelo atua principalmente na internet, planejandoe alimentando os perfis de seus clientes nas redes sociais. “Tô chegando afazer uma ‘mandinga’ aqui pra ver se a internet ‘pega’, no desespero mesmo”, desabafa.

Ele chegou a trocar de operadorauma vez, mas, diante do serviço ainda mais falho, voltou para a NET. “Você pagaum absurdo por um serviço que não entrega o produto combinado. Espero receberao menos o pacote de rede previsto no plano, mas nem isso eu tenho”, reclama odesigner.

Para Fernanda Fernandes, 24, quetrabalha como caixa em um restaurante, a situação ficou mais crítica nestasegunda-feira (1º), quando o serviço de internet do estabelecimento simplesmentesaiu do ar. “Quem trabalha com caixa depende da internet pra emitir a notafiscal do consumidor. Como hoje passou o dia sem sinal, todo o trabalho foiprejudicado, e a empresa teve prejuízo. A situação só foi melhorar agora ànoite”, explica.

Já Tatiane Seixas, 35, quetrabalha com artesanato e vende seus produtos online, anda em compasso de espera. “Uso principalmente o celular paraacessar a internet, e desde o fim de semana que eu não consigo acessar nem meue-mail nem as redes sociais. Assim, meu trabalho caiu, porque não tenho comomanter contato com os compradores”, revela.

Tatiane e Marcelo também sequeixam do serviço de telefonia celular da operadora TIM, que também teria sidoafetado pelo problema em Rondônia. “Até ligar para as pessoas está difícil”,queixa-se Marcelo.

Após a pane inicial, a NETprometeu devolver o serviço à normalidade ainda no dia 22, mas a situaçãocontinua precária. O Portal A CRÍTICA entrou em contato com a empresa nestasegunda, a fim de saber se há uma previsão para o retorno do serviço, mas aoperadora informou que só poderá se pronunciar sobre o assunto nesta terça (2).

Acessos em banda larga chegam a 165,5 milhões em julho no Brasil

O Brasil chegou a julho com 165,5milhões de acessos em banda larga, o que representou um crescimento de 50%frente a julho do ano passado. Segundo levantamento da Associação Brasileira deTelecomunicações (Telebrasil), nos últimos doze meses, 55 milhões de novosacessos foram ativados, num ritmo de ativação de 1,8 nova conexão por segundo.

A banda larga móvel, pelas redesde 3G e 4G, liderou a expansão dos acessos à internet, chegando em julho a142,1 milhões de conexões, com 60% de crescimento em relação a julho de 2013.Com esses dados, o Brasil já tem mais celulares com acessos em banda larga doque terminais móveis sem acesso à internet rápida.

Na banda larga móvel, 126,2milhões são de conexões de celulares, incluindo os smartphones, e 15,9 milhõessão terminais de dados, entre eles modems de acesso à internet e chips deconexão máquina-máquina (M2M). A banda larga pela tecnologia de quarta geração(4G), que permite velocidade de conexão à internet até dez vezes mais rápidaque a 3G, já conta com 3,6 milhões de acessos.

Na banda larga fixa, os acessossomaram 23,4 milhões em julho. Desse total, 2 milhões de conexões foramativadas nos últimos doze meses, com crescimento de 9,2% no período. Ainfraestrutura de banda larga fixa está presente em todos os municípiosbrasileiros.

A expansão também se deu nacobertura das redes de banda larga móvel, ativada em 342 novos municípios nosúltimos doze meses. Ao todo, as redes de terceira geração estão instaladas em3.756 municípios, onde moram 92% dos brasileiros. O 4G já chega a 119 cidades,que concentram 39% da população brasileira. Essa cobertura supera em muito ameta prevista, de atendimento de 45 cidades com mais de 500 mil habitantes.