Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Cada vez mais os jovens apostam no negócio próprio para entrar no mercado de trabalho

Uma pesquisa da FGV aponta que 80% deles esperam atuar como empreendedores

Danyelle Almeida montou um atelier (Baby Decor) na sua própria residência

Danyelle Almeida montou um atelier (Baby Decor) na sua própria residência (Clóvis Miranda)

Cerca de 80% dos jovens esperam se tornar empreendedores dentro de 10 anos, outros 46% já estão empreendendo, de acordo com as pesquisas de perfil realizadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) a pedido do LIDE Futuro, vertente do LIDE - Grupo de Líderes Empresariais que reúne jovens e potenciais líderes do futuro do País.

O jornal Acritica conversou com alguns empresários dessa geração que apontaram que, para empreender com possibilidade de sucesso, é preciso ser apaixonado pelo o que faz e sonhar alto.

Segundo a empresária Danyelle Almeida, de 31 anos, foi essa paixão e que a levou há três anos começar a trabalhar com personalização de quartos de bebês.

“Fiz cursos na área em São Paulo e logo em seguida passei a trabalhar em um atelier que fazia enxovais e acabei me apaixonando pelo trabalho, quando voltei para Manaus comecei a trabalhar por conta própria”, disse.

A jovem empresária, atualmente possui um atelier na sua própria residência e comercializa seus produtos na página do Facebook, Danyelle Almeida Baby Decor.

“Meus planos é investir cada vez mais, trazer sempre novidades ao mercado de personalização e fazer um curso de design de interiores”, revela.

A advogada e empresária, Priscila Figueiredo, de 28 anos, que possui uma casa lotérica e um correspondente bancário, afirma que quando iniciou com o negócio a identificação foi tamanha que desistiu de advocacia.

“Percebi que sou muito melhor como empreendedora, tomei gosto e não penso em outra coisa”, conta.

Entre os seus planos para o futuro está investir em um novo segmento.

“Hoje estou me capacitando, lendo bastante e fazendo cursos para apostar em um novo sonho”, adianta a Priscila, que acredita que o empreendedorismo está de portas abertas para todas as idades, raças e gêneros.

“Oportunidades não faltam, mas é preciso está preparado para isso, não adianta entrar nessa de curioso, há associações e entidades que podem te orientar sobre quais os melhores caminhos”, observa a empresária.

Outro bacharel em direito que resolveu empreender foi o Fernando Lindoso, que tem 25 anos, que na publicidade encontrou o caminho para aplicar suas idéias e projetos, em 2009 abriu a Show Up Mídias Alternativas.

O principal produto era uma pequena frota de Dirigíveis Radio Controlados. A proposta era divulgar nossos clientes com voos durante eventos e ações promocionais.

“Com as dificuldades de obter a matéria prima necessária precisei diversificar meus produtos. Assim, fomos os pioneiros da publicidade em Saco de Pão em Manaus e uma das primeiras do Brasil. Antes mesmo do surgimento das franquias que hoje atuam nesse segmento”, contou Fernando Lindoso.

Para o ano que vem, ele já faz planos e adianta que o carro-chefe está atrelado a inovação e tecnologia.

A jovem Danyelle Almeida montou um atelier (Baby Decor) na sua própria residência e comercializa seus produtos na página do Facebook.

Já Fernando Lindoso (abaixo) abriu um Up de mídias

Steve Jobs é a inspiração para a maioria dos jovens 

Entre os líderes que inspiram e estimulam a classe jovem brasileira está o fundador da Apple, Steve Job, que foi lembrado por 33% das pessoas, seguido por Warren Buffet (15%), Nelson Mandela (10%), Jack Welsh (8%), Bill Gates (9%), Mark Zukerberg (7%), além de Gandhi e Barack Obama (5%).

No Brasil, João Paulo Lemann, empresário do setor de alimentos e bebidas do mundo, foi apontado por 40% dos futuros líderes.

Trilhando o caminho de Steve Jobs

O empresário Gabriel Benarrós é proprietário da Ingresse, empresa que possui faturamento de R$ 2,3 milhões. O amazonense está entre quatro brasileiros possíveis sucessores de Steve Jobs, diz revista Forbes.

Em um bate-papo rápido com A CRÍTICA, o idealizador da Ingresse, considerado o maior site de vendas de ingressos do Brasil que possui faturamento de R$ 2,3 milhões, fala sobre os desafios de empreender no país e dá dicas para quem busca se aventurar nesse ramo.

Como é ser um jovem empreendedor?

Ser um jovem empreendedor é muito aprendizado na prática, cometer muitos erros, “apanhar” muito, dormir pouco e sonhar bastante. No começo você sempre terá novas coisas acontecendo, e o importante é saber extrair o melhor aprendizado de todas essas experiências, tanto daquelas com grande impacto, quanto das pequenas.

Ser jovem é uma vantagem na hora de empreender?

Se for pensar em questão de tempo, sim, é uma vantagem, mas eu acredito que o sucesso está mais na força de vontade e no foco da pessoa do que na idade, em si. Um benefício na hora de empreender é não ter medo de arriscar, e sendo jovem, você pode colocar em mente que se tudo der errado, você tem tempo de recomeçar. Ou seja, como você é jovem, você tem pouco a perder é muito a ganhar.

Quais os desafios do jovem empreendedor?

O grande desafio é conseguir se destacar no mercado frente a pessoas que já tem uma vasta experiência profissional. Nesse aspecto, é muito importante ter um forte diferencial, pois é isso que vai te colocar à altura de qualquer outra empresa com muitos anos de vida.

Quais as características e ferramentas essenciais para empreender com sucesso?

Acima de tudo ter uma excelente equipe, encontrar uma boa oportunidade e muita persistência. No início é muito difícil, mas é preciso ter motivação e foco pra conseguir chegar em algum lugar, principalmente quando se está empreendendo.

E que dicas você dá para quem deseja empreender?

Aconselho que corram mais riscos! No Brasil a gente tem muito espaço, muitas ideias boas e muita gente querendo apoiar ideias boas, por outro lado não temos tantas pessoas dispostas a largar tudo para tentar criar algum projeto novo. Principalmente quando estão no início da carreira. Nós ainda somos mais educados para sermos médicos, advogados e engenheiros, e menos para inventar a própria profissão.

Perfil de Gabriel Benarrós

Estudou no Centro Educacional Latu Sensu, em Manaus. Em 2011 concluiu os cursos de Psicologia e Economia e, fundou sua empresa. Reprodução