Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Bens dos deputados crescem R$ 6,7 milhões no Amazonas

Lista entregue pelos 24 membros da Assembleia Legislativa do AM ao TRE mostra elevação patrimonial de R$ 21,9 milhões para R$ 28,6 milhões em quatro anos

Lista entregue pelos 24 membros da ALE ao TRE mostra elevação patrimonial

Lista entregue pelos 24 membros da ALE ao TRE mostra elevação patrimonial (Arquivo AC)

Em quatro anos de mandato, entre 2010 e 2014, os deputados estaduais do Amazonas aumentaram em 31% o valor dos seus patrimônios. As informações estão disponíveis no Sistema de divulgação de candidaturas (DivulgaCand) no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No período, o valor dos bens dos parlamentares passou de R$ 21,9 milhões para R$ 28,6 milhões, acréscimo de R$ 6,7 milhões.

O maior crescimento percentual foi registrado na declaração de bens de Cabo Maciel (PR). No primeiro mandato na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), o parlamentar registrou aumento de 13.665% do seu patrimônio, que passou de R$ 13 mil em 2010 para R$ 1,7 milhão este ano. Quando se candidatou a vereador de Manaus em 2008, Maciel declarou não possuir nenhum bem.

David Almeida (PSD), que declarou nada ter em 2010, hoje acumula R$ 370 mil em propriedades. Outro que disse não possuir um centavo em seu nome em 2010 foi Ricardo Nicolau (PSD), que agora afirma possuir R$ 80 mil em bens, referentes a um carro e uma moto. Wilson Lisboa (PCdoB) repetiu o que fez em 2006 e 2010 neste ano: afirmou à Justiça Eleitoral não possuir bens em seu nome.

Em valores absolutos, o presidente da ALE-AM, Josué Neto (PSD), acumula ganhos de R$ 935,2 mil no período. Em seguida, aparece o vice-presidente da Casa, Belarmino Lins (PMDB), com ganhos de R$ 859,3 mil no intervalo. O patrimônio de Wanderley Dallas (PMDB) teve acréscimo de R$ 578,4.

Arthur Bisneto (PSDB) teve o patrimônio aumentado em R$ 511,7 mil, passando de R$ 93,6 mil em 2010 para R$ 605,3 mil este ano – em 2006, Bisneto declarou não haver registrado nenhum bem em seu nome. Adjuto Afonso (PP) teve ganhos de R$ 469,3 mil. Vicente Lopes (PMDB) teve crescimento no patrimônio de R$ 451,8 mil, nos quatro anos. Fausto Souza (PSD) teve incremento de R$ 243,5 mil na sua lista de bens. O crescimento no patrimônio de Tony Medeiros (PSL) foi de R$ 218 mil. Marcelo Ramos (PSB) teve aumento de R$ 182,6 mil.

Acumulam ganhos abaixo de R$ 100 mil, os deputados: Francisco Souza (PSC), com aumento de R$ 95,8 mil; Vera Lúcia Castelo Branco (PTB), com R$ 88 mil a mais; Luiz Castro (PPS), com R$ 33,7 mil; e José Ricardo (PT), com aumento de R$ 21,3 mil nos últimos quatro anos. Abdala Fraxe (PTN) manteve o mesmo valor declarado em 2010 – R$ 550 mil.

A declaração de bens é uma exigência da Lei das Eleições (lei 9.504/1997) prevista no artigo 11, que busca tornar o processo eleitoral transparente, além de combater o enriquecimento ilícito. O exercício do mandato está condicionado à apresentação de documentos como certidão de filiação partidária, certidões criminais e da declaração de bens e valores que compõem o patrimônio privado do político.

Confira os bens dos deputados

ADJUNTO AFONSO (PP)

Bens: R$ 1,54 milhão

ARTHUR BISNETO (PSDB)

Bens: R$ 605,3 mil

BELARMINO LINS (PMDB)

Bens: R$ 2,61 milhões

CABO MACIEL (PR)

Bens: R$ 1,78 milhão

CHICO PRETO (PMN)

Bens: R$ 511,5 mil

CONCEIÇÃO SAMPAIO (PP)

Bens: R$ 252 mil

DAVID ALMEIDA (PSD)

Bens: R$ 370 mil

FAUSTO SOUZA (PSD)

Bens: R$ 428,51 mil

FRANCISCO SOUZA (PSC)

Bens: R$ 465,2 mil

JOSÉ RICARDO (PT)

Bens: R$ 481,45 mil

JOSUÉ NETO (PSD)

Bens: R$ 1,48 milhão

LUIZ CASTRO (PPS)

Bens: R$ 849,76 mil

MARCELO RAMOS (PSB)

Bens: R$ 321,42 mil

MARCOS ROTTA (PMDB)

Bens: R$ 606,94 mil

ORLANDO CIDADE (PTN)

Bens: R$ 6,96 milhões

RICARDO NICOLAU (PSD)

Bens: R$ 80 mil

SIDNEY LEITE (PROS)

Bens: R$ 1,49 milhão

SINÉSIO CAMPOS (PT)

Bens: R$ 883,32 mil

TONY MEDEIROS (PSL)

Bens: R$ 734,41 mil

VERA CASTELO BRANCO (PTB)

Bens: R$ 1,85 milhão

VICENTE LOPES (PMDB)

Bens: R$ 1,77 milhão

WANDERLEY DALLAS (PMDB)

Bens: R$ 1,98 milhão

WILSON LISBOA (PCDOB)

Bens: R$ 0,00

Quatro têm perdas na lista de posses

Por outro lado, quatro parlamentares registram queda no valor patrimonial nos últimos quatro anos. A maior perda foi registrada por Conceição Sampaio (PP). Em 2010, a deputada declarou ter R$ 777,7 mil e este ano afirmou ter R$ 252 mil – ou seja, R$ 525,7 mil a menos.

Orlando Cidade (PTN) declarou ter R$ 406,5 mil a menos. Em 2010, declarou R$ 7,37 milhões. Este ano afirmou que a soma do seu patrimônio é R$ 6,96 milhões. Chico Preto (PMN) informou ter hoje R$ 384,4 mil a menos do que possuia em 2010. Já Marcos Rotta (PMDB) registra queda de R$ 20 mil no patrimônio declarado à Justiça Eleitoral este ano.

Líderes apresentam elevação

Líder do governo por três mandatos, Sinésio Campos (PT) acumula ganhos de R$ 703,2 mil nessa legislatura. Em 2010, ele declarou ter R$ 180 mil. Nesse ano, a declaração de bens de Sinésio alcança R$ 883,2 mil. Em 2006, o petista declarou que a soma dos seus bens chegava a R$ 218 mil.

O atual líder do governador na ALE-AM, Sidney Leite (Pros), registrou ganho de R$ 476,7 mil em seu primeiro mandato. Em 2010, disse ter R$ 1,01 milhão e neste ano declarou R$ 1,49 milhão. Em 2006, quando disputou a vaga de vice-governador na chapa encabeçada por Amazonino Mendes, Sidney Leite declarou ter R$ 152 mil.