Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Gastos de gasolina de vereadores da CMM são controlados por meio de ‘confiança’

Para o presidente da Câmara Municipal de Manaus, vereador Bosco Saraiva, a prestação de contas dos vereadores da casa está correta. 'Eu confio', garantiu Bosco

Bosco Saraiva em discurso no dia 26 de fevereiro ao falar da importância do cumprimento do Regimento Interno da Casa

Presidente diz que tem buscado melhorar o controle dos gastos da Ceap, mas afirma que a Câmara tem homens e mulheres corretos (Tiago Correa/CMM)

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Bosco Saraiva (PSDB), disse, nesta segunda-feira (12) que a casa abriga mulheres e homens honestos, e por isso confia nas informações contidas nas prestações de contas dos vereadores relativas aos valores gastos por eles em combustível.

“Eu confio e tenho a convicção da justeza e da honestidade de todos os vereadores da Câmara Municipal de Manaus. Estes legisladores aqui são homens e mulheres corretos. E nós estamos sempre buscando melhorar os controles de gastos da Ceap (Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar)”, afirmou Bosco, que gastou em março R$ 4,8 mil com combustível.

Na edição de domingo, A CRÍTICA publicou matéria mostrando que a CMM não tem controle sobre quem utiliza o combustível pago pelos 41 vereadores com a Ceap. Somente em março, eles informaram ter gastado R$ 202 mil com gasolina, diesel e óleo lubrificante.

Os únicos documentos apresentados pelos vereadores à controladoria da Casa sobre os gastos com combustíveis são declarações assinadas pelos parlamentares e as notas fiscais emitidas pelos postos.

Os documentos, segundo admitiu o controlador-geral da CMM, Gilson Souza, não permitem afirmar que os carros que abastecem nos postos são mesmo utilizados pelos vereadores ou funcionários de seus gabinetes. “Não tem como fazer a averiguação lá na ponta, no posto, se aquele combustível foi para o irmão, para o filho do vereador”, afirmou Gilson.

Ao contrário de Bosco, o vice-presidente da CMM, vereador Sildomar Abtibol (Pros), não descartou a possibilidade de rediscutir a forma de prestação de contas da Cepa. “Com essa situação colocada, nós precisamos, novamente, discutir. Quando vai aparecendo alguns pontos que se podem discutir, nós iremos rediscutir, não tenha duvida nenhuma”, garantiu Sildomar. Ele gastou em março R$ 4,9 mil com combustível.

Da bancada de oposição, o vereador Professor Bibiano (PT) defende que a CMM faça licitação para disciplinar o uso da Ceap. Para ele, hoje não há controle com os gastos originados pela cota. Em um mês (março), Bibiano gastou R$ 4 mil com combustível.