Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Candidatos ao Governo do AM desfrutam de tempo equilibrado em propagandas de TV e rádio

Após definição de alianças, Eduardo Braga deve ter 9 minutos e 51 segundos de propaganda; José Melo terá 8 minutos e 11 segundos

Propaganda eleitoral do Amazonas

Propaganda eleitoral do Amazonas (Helinaldo Mascarenhas)

Com o fim do prazo para as convenções partidárias na segunda-feira, dia 30 de junho, a definição final das alianças para a disputa ao governo do Amazonas também revela o desenho da distribuição do tempo de televisão que cada candidato terá para explorar, nos blocos da manhã e da noite da propaganda política na TV e no rádio.

A CRÍTICA fez uma estimativa com base nas regras eleitorais na qual o candidato Eduardo Braga (PMDB) figura com o maior tempo de televisão, com 9 minutos e 51 segundos, seguido de José Melo (Pros), com 8 minutos e 11 segundos, e Marcelo Ramos (PSB), que chega a 1 minuto e 59 segundos.

Na sequência, Abel Alves (Psol) e Chico Preto (PMN) totalizam 1 minuto e 17 segundos, cada. E com os menores tempos ficam Herbert Amazonas (PSTU) e Luiz Navarro, com 1 minuto e 11 segundos, cada candidato. Em agosto, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgará o tempo exato de cada candidatura.

O secretário-geral do PMDB, Miguel Capobiango, disse que a campanha de Eduardo Braga vai usar o horário na televisão para expor o programa de governo do candidato. “Essa vai ser a tônica”, disse. “Obviamente, o programa está baseado em muitas plataformas que já foram usadas nas gestões anteriores dele no governo”, completou.

A estratégia do Pros é “unir o time de aliados e as políticas públicas propostas” na campanha, segundo informou o secretário-geral da sigla, Radyr Júnior. “Vamos buscar preencher esse tempo de TV para pulverizar nossas ideias para o interior e a capital, atender aos anseios da população”, disse.

Marcelo Ramos disse que os quase dois minutos que terá é “um tempo razoável” para mostrar as ideias da candidatura dele. No entanto, ele considera a campanha na televisão “menos importante”. “Na TV você só fala e é preciso dialogar, conversar”, afirmou, ao citar a importância das redes sociais. “Não sou artificial nas redes. Sou de fato ativo e acho que nessa campanha a Internet vai ser mais importante que antes”, disse.

Na convenção do PSTU, no sábado, Herbert Amazonas, disse que apesar da candidatura dele contar com pouco tempo de televisão é possível superar as dificuldades. Nas últimas campanhas, Herbert e Luiz Navarro têm saído do amadorismo de suas campanhas na televisão, aperfeiçoando as produções que vão ao ar no horário eleitoral.

Para a disputa desse ano, conforme o calendário eleitoral do TSE, a propaganda eleitoral gratuita terá início no dia 19 de agosto e fim no dia 3 de outubro. Os dois blocos diários de 25 minutos, um de manhã e um à noite, serão divididos entre os presidenciáveis, candidatos a governador e senador nos Estados e, ainda, entre os candidatos a deputado.

Bancadas definem os tempos

O cálculo do tempo de propaganda na TV e no rádio leva em consideração os 1.500 segundos, ou 25 minutos, de duração dos blocos de propaganda gratuita. Conforme a regra vigente, 2/3 desse valor (1.000 segundos) devem ser distribuídos entre as bancadas dos partidos na Câmara dos Deputados. Coligações com partidos que tenham mais deputados federais terão maior tempo de televisão.

O PT, com 88 deputados, acrescenta 2 minutos e 51 segundos à candidatura de Braga; o PMDB, com 73 parlamentares, contribui com 2 minutos e 22 segundos para seu candidato; o PP, com 39 deputados, cede 1 minuto e 16 segundos para a campanha de Braga.

O PSD, que tem 45 deputados, leva 1 minuto e 27 segundos para a candidatura de José Melo; o PSDB, com os seus 44 deputados, agrega 1 minuto e 25 segundos à candidatura do governador; o PR, com 32 parlamentares, cede 1 minuto e 2 segundos a Melo; o DEM, com 28 deputados, contribui com 54 segundos para a campanha de Melo. O PSB, com seus 25 deputados, tem 48 segundos para seu candidato, Marcelo Ramos. Psol e PMN, com três deputados, cada, oferecem 6 segundos aos seus candidatos, Abel Alves e Chico Preto, respectivamente.

O tempo de cada um

9 min 51 s

Eduardo Braga é o campeão no quesito. A soma das bancadas dos partidos que compõe sua aliança chega a 267 deputados federais. Há um mês, o senador afirmou que a discussão com os partidos gira em torno da construção do plano de governo.

8 min 11 s

O atual governador José Melo agregou 16 partidos em sua aliança. Somadas as bancadas desses partidos, chega-se a 215 deputados federais. A chapa tem partidos com diferentes presidenciáveis: Dima, Aécio, Pastor Everaldo e Eduardo Jorge.

1 min 59 s

O candidato do PSB, Marcelo Ramos, com uma chapa “puro-sangue”, figura como o terceiro maior tempo. A bancada do PSB na Câmara dos Deputados tem 25 parlamentares. Ramos diz que vai apostar nas redes sociais.

1 min 17 s

Chico Preto, do PMN, fica empatado com o candidato do Psol. Os dois partidos têm apenas três representantes na Câmara dos Deputados. O candidato manteve-se na disputa após rumores de que desistiria para formar aliança com o PMDB.

1 min 17 s

Pelo Psol, Abel Alves disputará pela primeira vez o governo. O ex-deputado fez sua convenção no município de Tefé, em meio à insatisfação de militantes de Manaus do Psol. O partido não conseguiu coligar com outras legendas da esquerda.

1 min 11 s

Sem acordo para formar uma frente de esquerda, os presidentes do PSTU e PCB, Herbert Amazonas e Luiz Navarro, serão os candidatos pelas suas siglas. Os dois partidos não têm representantes na Câmara dos Deputados.