Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

‘Rolezinho’ está garantido aos jovens de Manaus

Essa é a informação do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) da Secretaria de Segurança Pública sobre manifestação agendada por adolescentes

Vigilantes têm sido orientados para que tenham a sensibilidade de atuar durante os rolezinhos somente em casos de depredação

Vigilantes têm sido orientados para que tenham a sensibilidade de atuar durante os rolezinhos somente em casos de depredação (Bruno Kelly )

Garantir o direito constitucional dos jovens de participar dos ‘rolezinhos’ organizados nas redes sociais sem baderna e confusão é o que as autoridades policiais, sindicato dos vigilantes e conselho tutelar pretendem que aconteça durante as manifestações agendadas para o próximo sábado e no dia 8 de fevereiro.

Segundo o presidente do sindicato dos vigilantes, Vanderli da Cunha Bernardo, a associação está acompanhando e orientando a categoria para que não haja conflitos. “O vigilante não tem poder policial, portanto, nós não podemos prender e nem mesmo levar um desses jovens para uma sala até que a polícia chegue”, disse o presidente do sindicato.

O secretário executivo do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), Frederico Mendes, informou que as reuniões que vem sendo realizadas com os representantes dos shoppings e a segurança dos estabelecimentos tem orientado os vigilantes para que tenham a sensibilidade de atuar durante os rolezinhos somente se houver depredação do patrimônio ou agressões. “Os jovens têm direito de ir ao shopping seja pra passear ou para protestar, mas isso precisa ser feito de forma pacifica”, disse Frederico Mendes.

De acordo com o secretário executivo, o perfil dos jovens que têm sido identificado são de adolescentes de classe média que passam bastante tempo interagindo em comunidades do facebook e whatsapp.

Para Frederico Mendes, o que se pode perceber é que esses jovens participam desses grupos muito mais pelo modismo e para copiar os rolezinhos do sul do país do que para manifestar contra o preconceito, como aconteceu em São Paulo onde os jovens protestavam contra a proibição da entrada nos bailes funks.

Em Manaus os rolezinhos se apresentam como uma continuação das manifestações que aconteceram em junho de 2013, porém, assim como no ano passado, quando foi registrada apenas uma confusão no bairro Compensa, Zona Oeste, onde dois ônibus foram queimados, o secretário executivo espera que não haja nenhum tipo de confronto.

Pais devem acompanhar filhos

Para o secretário executivo do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), Frederico Mendes, o povo amazonense é pacifico e não tem a mentalidade de depredar, “mas, no meio de boas pessoas, tem sempre um oportunista que vai aproveitar para promover baderna e furtar os estabelecimentos”. Por isso, ele defende que os pais acompanhem os adolescentes e se for o caso, não deixem que eles participem dos ‘rolezinhos’.

Caso os atos gerem violência, os participantes serão responsabilizados, inclusive com os menores de idade sendo enviados à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai) e os pais contatados, segundo Mendes.

Assim como aconteceu em outros Estados, em que houve briga entre os próprios participantes que divergiam sobre a violência durante os rolezinhos, o mesmo pode acontecer em Manaus, portanto, os pais devem ficar atentos, alerta o secretário executivo do GGI.