Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Eleições 2014: Treze mil títulos de eleitor serão anulados em Manacapuru

Esse foi o número de pessoas que deixaram de comparecer ao cartório eleitoral do município para fazer o recadastramento biométrico, segundo o chefe do órgão

Primeira etapa do recadastramento biométrico em Manacapuru ocorreu de 14 de novembro de 2013 a 28 de março deste ano. O prazo foi prorrogado até quarta-feira

Primeira etapa do recadastramento biométrico em Manacapuru ocorreu de 14 de novembro de 2013 a 28 de março deste ano. O prazo foi prorrogado até quarta-feira (Euzivaldo Queiroz)

Manacapuru (a 84 quilômetros de Manaus), que realizou a eleição de 2012 sob suspeita de fraude na transferência de eleitores, terá quase 13 mil títulos eleitorais cancelados. Esse foi o número de pessoas que deixaram de comparecer ao cartório eleitoral do município para fazer o recadastramento biométrico, segundo o chefe do órgão, Laércio Pantoja Júnior.

“Nós não temos ainda um número fechado, mas a estimativa aqui no cartório de Manacapuru é de que cerca de 13 mil eleitores terão os títulos cancelados. O recadastramento e a emissão de títulos encerraram na quarta-feira, e ainda houve uma procura muito grande das pessoas, só que infelizmente não deu pra atender a grande demanda”, revelou Pantoja.

O primeiro período de cadastramento biométrico em Manacapuru iniciou em 14 de novembro de 2013 e foi até 28 de março deste ano (120 dias). Após este período, o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) prorrogou o prazo até a quarta-feira, 6 de maio (39 dias). Somando os dois prazos, os eleitores de Manacapuru tiveram 159 dias para realizar o procedimento.

Em agosto de 2011, o então corregedor do TRE-AM, Flávio Pascarelli, recebeu denúncias de fraudes no cadastro de eleitores de Manacapuru. No mesmo mês, a correição (investigação) no segundo maior colégio eleitoral do Estado iniciou. O procedimento foi o primeiro passo para que fosse solicitado a recontagem de eleitores da cidade, necessária na avaliação da Corregedoria antes das eleições municipais de 2012.

Em 2008, o município registrava 53.718 eleitores cadastrados. Em 2010, o número saltou para 58.127 eleitores, o que colocou o município a frente de Itacoatiara e Parintins que lideravam em números de eleitores, em 2008, com, respectivamente 53.800 e 53.775 votantes.

A denúncia, de acordo com o TRE, feita pelo diretório do Partido Verde (PV), tratava de eleitores do município que não moravam na cidade. A apuração, em 2011, mostrou que eleitores informavam endereços onde nunca haviam morado.

Na ocasião, Pascarelli disse que a situação era grave. O desembargador afirmou que a correição confirmou que a cidade contava com um elevado número de eleitores que não moravam em Manacapuru. Durante as visitas por amostragens foi identificado que endereços fornecidos irregularmente à Justiça Eleitoral ficavam na casa de vereadores, como o do então presidente da Câmara Municipal de Manacapuru, Jaziel Nunes de Alencar, hoje prefeito. E até mesmo na casa do chefe do cartório, que foi afastado.

Oitenta e cinco casas foram visitadas pelos funcionários do TRE-AM, sendo que em 41,18% delas os dados não conferiram. O TRE-AM aprovou a recontagem de eleitores em Manacapuru. O processo não foi feito devido ao calendário eleitoral.

Sete cidades fizeram cadastramento

Mais seis municípios da Região Metropolitana de Manaus também passaram pelo procedimento do recadastramento biométrico: Rio Preto da Eva, Iranduba, Itacoatiara, Presidente Figueiredo, Careiro da Várzea e Novo Airão.

O município de Rio Preto da Eva (a 80 quilômetros de Manaus), que segundo o site do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) possui 11.418 eleitores, vai ter cerca de 3 mil títulos eleitorais cancelados, de acordo com a chefe do cartório eleitoral da cidade, Regina Célia Baptista Vianna.

Em Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus), a chefe do cartório eleitoral, Nayana Shirado, afirmou que serão cancelados 7.182 títulos de eleitores. De acordo com o TRE-AM, Iranduba possui 19.775 eleitores.

Itacoatiara (a 170 quilômetros de Manaus), que de 9 de outubro de 2013 a 28 de março deste ano (190 dias) realizou a revisão do eleitorado através do cadastramento biométrico, cancelou 13.473 títulos, conforme a chefe do cartório eleitoral, Marília Vilela Ferreira. O município possui 64.210 eleitores.

A 107 quilômetros de Manaus, Presidente Figueiredo, após o cadastro biométrico, cancelou 3.965 títulos eleitorais. No município, estão aptos a votar 15.112 eleitores.

Em Novo Airão (a 115 quilômetros de Manaus), 1.643 títulos eleitorais foram cancelados, de acordo com relatório do TRE-AM divulgado em 3 de fevereiro deste ano. O município possui 8.130 eleitores aptos.

Processo garante mais segurança

A biometria, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), garante mais segurança aos eleitores brasileiros na hora de votar. De acordo com o TSE, nas Eleições 2014, mais de 22 milhões de pessoas serão identificados pelas digitais. Por isso, de 2012 a 2014, o programa de identificação biométrica da Justiça Eleitoral chamou para o recadastramento 14,3 milhões de eleitores.

A biometria é usada em inúmeros lugares para melhorar a segurança ou conveniência dos cidadãos. No Brasil, a emissão de passaporte, de carteiras de identidade e o cadastro das Polícias Civil e Federal contam com sistemas biométricos. Para o reconhecimento individual são coletados dados biométricos por meio de sensores que os colocam em formato digital. Quanto melhor a qualidade do sensor, melhor será o reconhecimento alcançado. Na hora de votar, o eleitor será identificado pelas digitais e pela fotografia.