Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Eletrobras Amazonas Energia encontra ‘gato’ de energia em igrejas de Manaus

A concessionária desligou as ligações clandestinas em duas delas, uma ainda em construção; O terceiro caso foi regularizado

Técnicos da Eletrobras Amazonas Energia desligaram a ligação clandestina de duas das três igrejas onde foram constatadas irregularidades na rede elétrica

Técnicos da Eletrobras Amazonas Energia desligaram a ligação clandestina de duas das três igrejas onde foram constatadas irregularidades na rede elétrica (Divulgação )

Um dia depois de flagrar uma ligação clandestina de energia elétrica no sistema de captação de água no Conjunto Cidadão 12, na Zona Norte, a Eletrobras Amazonas Energia identificou, nesta sexta-feira (17), a mesma situação em três igrejas. Uma delas, inclusive, fica localizada no mesmo conjunto habitacional e as outras ficam no conjunto Cidadão 10, também Zona Norte.

Dois templos religiosos estavam funcionando por meio de um “gato” na rede de energia e o outro imóvel ainda está em construção. Nenhum deles tem cadastro na empresa ou medidor de energia. Apenas uma das unidades foi regularizada e a outra, juntamente com a que está em obra, foi desligada pela Eletrobras.

Segundo do representante da diretoria comercial da concessionária, Geraldo Alves, somente técnicos da empresa estão autorizados e capacitados para realizar intervenções na rede de distribuição elétrica.

“É importante destacar que quando um indivíduo realiza este tipo de ligação, está colocando em risco não só a sua vida, mas a de muitas outras pessoas também, uma vez que sua execução não obedece aos procedimentos e normas de segurança. Fazemos questão de deixar claro que só quem tem autorização para realizar intervenções na rede de distribuição elétrica no Amazonas é a Eletrobras Amazonas Energia e empresas por ela autorizadas. Ninguém mais”, ressaltou.