Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Emenda à LDO favorável para médicos é vetada pelo Governo do Amazonas

Proposta que defende a organização da carreira de médico no AM não foi aprovada pelo governo, e Assembleia Legislativa do Estado decide se concorda

O presidente do Simeam, Mario Vianna, afirma que os planos de saúde se omitem e estão dificultando a negociação

O presidente do sindicato dos médicos, Mario Viana, disse que o veto é visto pela categoria com “péssimos olhos” (Bruno Kelly - 08/07/2010 )

O veto do Governo do Estado a uma emenda do Projeto de Lei Orçamentária (LDO) de 2015 que favorece os médicos coloca a categoria, composta por 1.200 profissionais, em confronto com o governador José Melo (Pros), segundo o Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam).

A rejeição à emenda, de autoria do deputado Luiz Castro (PPS), chegou à Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) há 20 dias, e até ontem não havia entrado na pauta de votação, tendo sua existência desconhecida pelo parlamentar e até mesmo pelo líder do governo na ALE, deputado Sidney Leite (Pros).

A emenda que já havia sido aprovada pelo plenário da ALE-AM em 11 de julho deste ano assegurava a efetiva aplicação da Emenda Constitucional n° 80/2013, de 23 de dezembro de 2013, que estabelece diretrizes para a organização da carreira de médico no Amazonas.

O deputado Luiz Castro (PPS), em entrevista ao A CRÍTICA, se disse surpreso com o veto, e afirmou que a atitude do Governo do Estado pode ser uma “casca de banana” para a campanha do candidato à reeleição, José Melo.

“Quem manda vetar uma emenda à LDO que efetiva a carreira dos médicos no Estado do Amazonas e que está prevista na Constituição, na verdade, está indo contra os médicos e contra a implantação da medicina nos municípios do interior. Isso seria uma casca de banana para ele (José Melo). E isso vai contra o próprio discurso dele que diz que quer melhorar a saúde no interior”, lembrou.

A emenda à LDO, destacou Luiz Castro, foi aprovada pelos parlamentares, justamente por efetivar a emenda constitucional. “E aí o Governo do Estado manda vetar. Qual o sinal que ele (José Melo) passa para a sociedade? Que ele (José Melo) não está interessado na interiorização dos médicos, e isso é muito sério. Será que o governador tem consciência da implicação deste veto? Eu espero que este constrangimento seja evitado tanto para nós (deputados) como, principalmente, para a base governista e o próprio José Melo”, disse o autor da emenda.

“Necessário é que a LDO contemple uma definição (sobre a organização da carreira de médico de Estado) que a própria constituição já possui. Espero que o Governo do Estado recue e compreenda, inclusive, a repercussão negativa que vai dar se esse veto for acatado”, declarou Castro.

Viana vai levar veto para categoria

O presidente do Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam), Mario Vianna, afirmou que irá expor à categoria o veto do governador José Melo à emenda a Lei Orçamentária (LDO) de 2015.

“E eu vou expor esse veto do governador para a categoria e eles terão que decidir, pois há neste momento (campanha eleitoral) um sentimento a favor do governador José Melo. E acho que vamos ter que tornar isso público e o professor José Melo vai ter que se posicionar. E eu acredito que, se os médicos souberem disso, haverá uma reversão muito grande, podendo até mudar o apoio para o governo estadual de uma forma muito contundente, pois não era isso que estávamos esperando dele (José Melo)”, afirmou Mario Viana.

De acordo com Vianna, agora “a categoria deverá se posicionar fortemente contra esta atitude” do governador. “Já posso adiantar que nós vemos este veto com péssimos olhos. Isso é muito preocupante e muito decepcionante”, declarou Mario.