Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Feirão de imóveis deve gerar faturamento de R$ 200 milhões

Quantia deve ser obtida com a realização do I Salão Imobiliário do Banco do Brasil em parceria com o Sindicato da Construção Civil do Amazonas (Sindsucon-AM)

Dois dos novos e modernos prédios de apartamentos, recheados de tecnologia, que estão sendo erguidos no conjunto Morada do Sol

No feirão, serão oferecidos 500 imóveis que estão localizados em todas as zonas da cidade (Clóvis Miranda )

O 1º Salão Imobiliário do Banco do Brasil e do Sindicato da Construção Civil do Amazonas (Sindsucon-AM), que acontecerá nos dias 29 e 30 de março, no Manaus Plaza, foi lançado nesta terça-feira (25). A estimativa é que o evento receba aproximadamente 20 mil pessoas, das camadas A e B, e gere faturamento de R$ 200 milhões em vendas de imóveis cujos preços vão de R$ 450 mil a R$ 2 milhões.

Serão oferecidos 500 imóveis que estão localizados em todas as zonas da cidade. Desse total, 80% já estão aptos a receber moradores e o restante, nas plantas. Segundo o diretor da Comissão da Indústria Imobiliária do Sinduscon, Newton Veras, a expectativa é que muitos negócios sejam fechados no Salão, de 200 a 500 unidades vendidas, pois nos últimos três anos o mercado estava voltado para atender às demandas das classes C e D e os clientes com alto poder aquisitivo esperavam novidades. “Os compradores buscam imóveis em regiões que tem facilidade de acesso ou com serviços variados instalados nas proximidades”, explicou.

Durante o evento, o Banco do Brasil oferecerá o serviço de análise de crédito, sendo que os correntistas do banco poderão sair com o crédito aprovado. Quem não for cliente poderá pedir uma avaliação para receber uma resposta após o encerramento do Salão.

“Estamos prontos para atender a demanda que já identificamos na praça, por meio de pesquisas. Teremos imóveis a partir de R$ 300 mil, mas se algum cliente desejar algo em torno de R$ 200 mil também avaliamos com nossos parceiros. Devemos dobrar o faturamento atingindo R$ 200 milhões em negócios fechados”, avaliou o Edmilson Zucalotto, superintendente regional de Varejo do BB, acrescentando que entre as vantagens da instituição financeira está a ampliação do prazo de financiamento, que vai de 18 a 300 meses, dependendo do caso e da idade do cliente.

O presidente do Sinduscon, Eduardo Jorge Oliveira, lembrou que as reuniões para a realização do Salão começaram há cerca de um ano. Ele disse que o Banco do Brasil tem o financiamento e agora é hora de ir atrás dos clientes. Segundo ele, o mercado econômico não é fácil, mas ressaltou que o Salão dará certo.

Pesquisa em fase de finalização

A pesquisa do Índice de Velocidade de Vendas (IVV) de 2013 está sendo finalizada, mas o Sinduscon não tem data ainda para divulgá-la. Adiantou, porém, que os dados demonstram estabilidade do mercado. O consumidor continua comprando imóveis, mas num ritmo bem menor se comparado aos anos anteriores.

O mercado lança bimestralmente, em média, 800 unidades e vende 600. A baixa oscilação das tabelas de vendas garante um bom desempenho, de acordo com Newton Veras. Ele explica que as construtoras repassam ao custo dos imóveis apenas os percentuais correspondentes à variação do preço dos matérias e mão de obra. O lucro não aumentou, o que proporcionou tranquilidade para quem quer investir na compra do primeiro imóvel.