Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

ONG entrega pedido de cassação do deputado Fausto Souza para ALE-AM

O presidente do Instituto Amazônico de Cidadania (Iaci), Hamilton Leão, declarou que espera que a Casa cumpra com a justiça e dê uma resposta positiva à população

Fauto Souza é acusado de explorar sexualmente crianças e adolescentes de Manaus

Fauto Souza é acusado de explorar sexualmente crianças e adolescentes de Manaus (Márcio Silva)

O presidente do Instituto Amazônico de Cidadania (Iaci), Hamilton Leão informou que a organização não-governamental (ONG) entrou com o pedido de cassação do mandato do deputado estadual Fausto Souza (PSD), na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), na manhã desta sexta-feira (4).

O deputado é um dos 20 réus investigados por exploração sexual de crianças e adolescente em Manaus em ação penal que tramita no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM). O crime foi apontado pela Polícia Civil durante a investigação da operação Estocolmo.

“Esperamos que a casa (ALE-AM) faça o acolhimento dessa apresentação com responsabilidade, apure com precisão os culpados e os puna devidamente conforme a lei. Aliás, vale ressaltar, que a casa passa uma imagem negativa a população, talvez essa seja a chance de reverter o quadro, não basta ignorar, tem que aceitar e resolver o problema em questão”, declarou o presidente do Iaci.

A denúncia

No domingo passado, o programa Fantástico da Rede Globo exibiu matéria com trechos das conversas que quatro dos réus, entre eles Fausto Souza, mantinham com os agenciadores antes dos encontros com as adolescentes.

Os outros réus que tiveram trechos das conversas interceptadas pela polícia exibidos pelo programa de televisão no domingo foram o ex-prefeito de Jutaí, Asclepíades Costa de Souza, o ex-cônsul honorário da Holanda Vitório Nyenhuis, o empresário de Manaus Waldery Areosa Ferreira, ex-proprietário do Centro Universitário do Norte (Uninorte), e o filho dele, Waldery Areosa Júnior.

A denúncia do Ministério Público do Amazonas (MPE-AM) contra o grupo de acusados de integrarem uma rede de exploração sexual infanto-juvenil em Manaus foi aceita pelo TJ-AM no dia 28 de janeiro.

Fausto Silva negou as acusações em seu blog. Confira:

 “Quero me desculpar com a minha família, parentes, amigos e a todos os que acreditam em mim e no meu trabalho, e dizer que o processo corre em segredo de justiça, onde já apresentei minha defesa para provar a não participação no caso. Esclareço ainda que sempre dediquei meu tempo à minha família, às minhas atividades parlamentares como deputado estadual e apresentador do Programa Livre, não dispondo de tempo para qualquer envolvimento ilícito de prostituição de menores. Sou um homem casado. Sempre fui, em companhia dos meus irmãos, um defensor da família. Devo tudo que tenho à minha família e aos amigos, que sempre demonstraram a mesma confiança, e tento todos os dias retribuir com a mesma dedicação, respeito e trabalho. Nunca, jamais pratiquei qualquer coisa que pudesse denegrir minha pessoa, como indicou essa reportagem exibida pelo Fantástico”.