Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Infraero analisa aditivo para a obra inacabada do aeroporto Internacional de Manaus

Obra de reforma, que até agora está orçada em R$ 452,59 milhões, tem piso trocado um mês após final da Copa do Mundo e Infraero já fala em aditivar contrato

Conforme a Infraero, um piso provisório foi colocado nesta área de embarque e desembarque de passageiro, mas com custo já embutido no valor final da obra

Conforme a Infraero, um piso provisório foi colocado nesta área de embarque e desembarque de passageiro, mas com custo já embutido no valor final da obra (Bruno Kelly)

Um mês após o final da Copa do Mundo, o aeroporto Internacional de Manaus Eduardo Gomes, considerado um dos legados inacabados do Mundial na cidade, está refazendo o piso da área de embarque do lado externo e que havia sido entregue antes do evento. Além disso, foi retomada no aeroporto a obra paralisada durante a competição. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou, ontem, que está analisando um aditivo para a obra que até agora está orçada em R$ 452,59 milhões

A instalação de um piso temporário na área de embarque do aeroporto do lado externo , segundo a Infraero, foi medida paliativa adotada para evitar transtornos aos turistas da Copa. Diz trecho da resposta da Infraero à reportagem: “O piso temporário foi instalado para atendimento durante a Copa. Agora, com o encerramento do Mundial e a retomada dos trabalhos, o piso definitivo está sendo instalado. As vantagens dele em relação ao anterior são: antiderrapante e mais resistente (vida útil maior)”.

De acordo com a Infraero, o piso temporário estava inserido no valor final da obra e não custou nada a mais no orçamento, que pode sofrer reajuste.

Sobre a análise de aditivo à obra atrasada e inacabada, a assessoria de comunicação da Infraero informou que não há como adiantar se o mesmo servirá para dilação do prazo de entrega ou aumento no valor da obra. A assessoria acrescentou que aditivos também servem para diminuir o valor final da obra. Nenhuma indicação de prazo para término da análise sobre a necessidade do aditivo foi feita pela assessoria de comunicação da Infraero.

Até agora, os usuários do aeroporto de Manaus já têm acesso ao novo saguão, nova área de check-in, no desembarque e estacionamento. Os serviços que ainda faltam ser concluídos, segundo a Infraero, são a reforma das salas de embarque, praça de alimentação e restante do estacionamento.

Revisão

O cronograma destes serviços está sendo revisado. A última estimativa da Infraero era conclusão da obra em maio deste ano (a primeira previsão era dezembro do ano passado). Como as obras não conseguiram terminar antes da Copa, a alternativa foi suspendê-la durante o Mundial para, segundo justificativa da empresa, não prejudicar a movimentação de passageiros.

O cronograma dos serviços remanescentes – reforma das salas de embarque, praça de alimentação e restante do estacionamento – está sendo revisado.

Os recursos para a obra no Aeroporto de Manaus têm origem no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2, de 2011 a 2014).