Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Inpa inaugura Prédio de Armazenamento para Materiais Radioativos e torna-se referência

Instituto inaugurou nesta quarta (23), Prédio de Armazenamento para Materiais Radioativos que permitirá a realização de pesquisas envolvendo elementos nucleares

Com arquitetura especial e autorizada pela CNEM, prédio no Inpa possibilitará a realização de diversos tipos de pesquisas envolvendo elementos radioativos

Com arquitetura especial e autorizada pela CNEM, prédio no Inpa possibilitará a realização de diversos tipos de pesquisas envolvendo elementos radioativos (Divulgação)

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) inaugurou nesta quarta-feira (23) o Prédio de Armazenamento para Materiais Radioativos (Pamrad) usados nos trabalhos dos pesquisadores da instituição. “Esta tecnologia com uso de radioisótopos para os estudos não só de questões ambientais, mas também relacionados à saúde é uma ferramenta de extrema importância para a ciência e a tecnologia. Não conseguiríamos avançar em várias áreas de pesquisa sem essa ferramenta”, declarou o diretor do instituto, Adalberto Val.

Com a inauguração do Pamrad, o Inpa torna-se referência no Norte do Brasil neste tipo de armazenamento, garantindo o confinamento seguro desses materiais radioativos pelo tempo necessário à proteção do homem e do meio ambiente.

De acordo com Adalberto Val, o Inpa já trabalhou com material radioativo e agora faz um investimento significativo com esta infraestrutura para dotar o instituto de uma ferramenta tão valiosa para a pesquisa.

O presidente da Comissão Interna de Radioproteção, Adrian Pohlit, disse que o Pamrad representa um salto qualitativo nos trabalhos desenvolvidos há décadas nos laboratórios e cita o exemplos as pesquisas com malária. “Vai tornar possível utilizar um metabólito que contém o isótopo trício, que é introduzido no meio de cultura durante o bioensaio e permite quantificação rápida dos parasitos e aumenta em mais de 100 vezes a velocidade dos testes antiplasmódicos”, ressalta o pesquisador.

Segundo Val, outras instâncias da região poderão também usar a estrutura do prédio respeitando o limite da capacidade de armazenagem. “O prédio não foi desenhado para atender uma quantidade muito grande, mas questões específicas e emergenciais vamos atender na medida do possível’, destacou.

O Pamrad atenderá as necessidades dos diversos grupos de pesquisas de diferentes laboratórios do Inpa, que manifestaram a intenção de trabalhar com materiais radioativos ou equipamentos emissores de radiação ionizante em suas pesquisas. Futuramente, esses laboratórios passarão a ser denominados de Instalações Radioativas licenciadas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen).

A implantação do Serviço de Radioproteção no Inpa é uma das normas estabelecidas pelo Cnen para que os laboratórios de pesquisas utilizem materiais radioativos. Segundo explica a técnica Zenaide Figueiredo, o serviço tem a função de orientar os grupos de pesquisas que tenham a intenção de trabalhar com material radioativo e garantir que o pessoal que irá trabalhar com esse material esteja sob um regime de segurança contra irradiações.