Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Jovens amazonenses organizam protesto em prol do rozelinho em shoppings

Redes sociais são usadas para convocar jovens a participar de três manifestos em dois shoppings da cidade e também na CMM

Adolescentes que foram a um centro de compras para um ‘rolezinho’ acabaram revistados por PMs na frente do shopping; Lojistas e a polícia se reúnem para saber como agir nos próximos encontros

Adolescentes que foram a um centro de compras para um ‘rolezinho’ acabaram revistados por PMs na frente do shopping; Lojistas e a polícia se reúnem para saber como agir nos próximos encontros (Bruno Kelly)

Os “rolezinhos”, que vêm acontecendo em várias capitais brasileiras desde dezembro, chegou a Manaus com a pretensão de ser mais do que uma uma reunião para tirar fotos, paquerar e se divertir entre amigos, e se tornar um protesto, como os que aconteceram em junho de 2013.

Nas redes sociais, páginas de eventos convidam jovens a participar dos rolezinhos em dois shoppings da cidade e também na Câmara Municipal de Manaus (CMM).

Em um dos eventos, criado pela estudante do ensino médio, Larissa Olegário, 17, a descrição do objetivo do grupo, composto por 400 jovens entre 15 e 18 anos, é conhecer pessoas, fazer amizades e tirar fotos. Porém, a estudante garante que, além desses objetivos, os adolescentes querem se manifestar contra o preconceito e a segregação social. Segundo Larissa, a proibição da entrada de jovens no shopping JK, em São Paulo, não pode se repetir em outras cidades, pois todos têm direito de frequentar os estabelecimentos.

A adolescente garante que o encontro organizado por ela para o próximo dia 8 de fevereiro, no shopping Manauara, na avenida Mario Ypiranga Monteiro, bairro Adrianopólis, Zona Centro-Sul, será pacífico. Larissa explica que tem o apoio dos pais e já participou de outros movimentos como o “Vem pra rua” que levou milhares de pessoas às ruas, para reivindicar por melhorias na cidade. “Eu pretendo estudar psicologia, mas tenho vontade também de ser política e ajudar a mudar o País”, disse a estudante.

No próximo sábado, o grupo vai se reunir para organizar as pautas do encontro e pedir apoio dos shopping e da Polícia Militar para que o rolezinho aconteça.

Outro rolezinho agendado está sendo organizado pelo DJ Kleber Romão, para o dia 31 de março, na CMM, a partir das 8h. Com o objetivo claro de reinvidicar melhorias políticas, o rolezinho na CMM, é na verdade, um trocadilho com as faltas dos vereadores às sessões da casa. Para Kleber, por trás do movimento social, há manipulação de partidos políticos.

O cientista político Pontes Filho disse acreditar que a desigualdade e injustiça social, aliadas às facilidades de acesso às redes sociais e ao “rescaldo” das manifestações do ano passado, são os fatores que transformaram as reuniões de jovens em “rolezinhos politizados”.

Lojas fechadas se houver caos

Mediante os anúncios de rolezinhos, os lojistas dos shoppings de Manaus recorreram à polícia para resguardar o patrimônio e garantir a segurança dos clientes e empresários. Segundo a presidente da Associação dos Lojistas dos Shoppings, Mercedes Brás, os empresários estão temerosos com os possíveis ataques de vândalos às lojas e saques dos produtos e por isso, prometem fechar a porta das lojas, caso haja confusão.

De acordo com Mercedes, os lojistas não são contra os encontros entre os jovens, mas é preciso que eles tenham a consciência de que o local não deve ser usado para baderna e depredação. “Os jovens já vão ao shopping encontrar os amigos, ir ao cinema, mas quando isso vira uma confusão que prejudica milhares de pessoas, é preciso que se tome uma postura mais séria”, disse.

A diretora da associação informou que recebeu da polícia a informação de que os grupos estão sendo monitorados e que isso oferece uma tranquilidade maior aos lojistas.

Sobre a preparação dos seguranças dos estabelecimentos para lidar com os jovens, Mercedes Brás disse que eles têm sido preparados desde que surgiram os rumores sobre rolezinhos e portanto, estão atentos a qualquer alteração. “Os seguranças foram orientados e estão cientes que devem agir só em caso de confusão”, acrescentou Mercedes.

O coronel da Polícia Militar Hermes Macedo informou que o número de policiais próximo aos locais dos rolezinhos será ampliado.

Apesar de toda essa operação para garantir a segurança nos shoppings, Mercedes acredita que, em Manaus, os rolezinhos não terão vandalismo.