Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Partidos Psol, PSTU e PCB se desentendem na campanha para as eleições de 2014

O Psol lançou chapa só para o Governo, enquanto o PSTU aprovou nome do candidato majoritário e pode abrir vice para o PCB

Convenção realizada pelo PSTU, na tarde de sábado, oficializou o nome do sindicalista Herbert (à esquerda). Presidente do PCB, Luiz Navarro, diz que ainda há chance da sigla se coligar com o Psol

Convenção realizada pelo PSTU, na tarde de sábado, oficializou o nome do sindicalista Herbert (à esquerda). Presidente do PCB, Luiz Navarro, diz que ainda há chance da sigla se coligar com o Psol (Luciano Falbo e Luiz Vasconcelos)

Parcialmente dividida, a extrema esquerda amazonense já sacramentou os nomes que vão concorrer à disputa ao Governo do Estado. Enquanto o Partido Socialismo Liberdade (Psol) definiu no dia 15 o nome do ex-deputado Abel Alves como o candidato a governador pela sigla, tendo como vice o militante Robson Diosa, o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) oficializou no sábado Herbert Amazonas como candidato e Gilberto Vasconcelos como vice. No entanto, os socialistas definiram, na convenção, que o posto de vice poderá ser alterado para acomodar um representante do Partido Comunista Brasileiro (PCB), que manifestou interesse na aliança.

Com a proposta de ser uma alternativa aos partidos tradicionais que se revezam no poder há três décadas e para defender posicionamentos de esquerda, a candidatura do PSTU tem como principal bandeira a defesa do trabalhador. “A candidatura do PSTU é para discutir um projeto alternativo para a classe trabalhadora. É um projeto que possa apresentar uma saída para a qualidade de vida para quem produz a riqueza do País. Somos nós que construímos essa riqueza, mas o capitalismo nos nega uma vida decente”, disse Herbert.

“Nossa candidatura é para levantar o debate. Quem tem menos de 32 anos nasceu com esse grupo, que governa hoje o Estado, no poder. São pessoas que enriqueceram, que ficaram milionárias às custas do saque da máquina pública”, acrescentou Herbert. O candidato lembrou ainda que o PSTU sempre está envolvido nas lutas nas ruas por melhorias nos serviços públicos. Segundo ele, a candidatura não é um projeto pessoal. “O que não queremos é homens ricos governando para si. Queremos um governo democrático, com discussão, com conselhos populares”, pontuou.

A convenção do PSTU reuniu, além dos candidatos e militantes da sigla, os presidentes estaduais do Psol, Elson Melo, e do PCB, Luiz Navarro. Também estiveram presentes no encontro os secretários de organização e de formação política do Psol, Adilson Maia e Fernando Lobato, respectivamente.

Elson Melo, que descartou a possibilidade de aliança com PSTU e PCB na ocasião, desejou sorte aos “camaradas”. “A vitória do PSTU é uma vitória da classe trabalhadora brasileira. O Psol tem no PSTU um aliado de primeira hora porque temos afinidades apesar das divergências”, discursou. O Psol enfrenta a resistência de parte de seus filiados que acusam os dirigentes estaduais de imposição da candidatura de Abel Alves e reclamam da falta de entendimento com PSTU e PCB. Na semana passada, a troca do candidato ao Senado acalmou os ânimos, mas não pôs fim ao racha.

Partidos têm até as 24h para definir candidatos

A maioria dos partidos deixou para realizar nesta segunda-feira (30) – prazo limite previsto na legislação eleitoral – as convenções que selarão as candidaturas majoritárias ao governo e ao Senado e as proporcionais (para deputado estadual e federal) e as alianças eleitorais. Dos que terão candidaturas ao governo, os únicos partidos que já fizeram suas convenções foram: Psol, PSB e PSTU.

Segundo o secretário-geral do PMDB, a convenção que vai oficializar a candidatura do senador Eduardo Braga está marcada para iniciar às 13h e deve seguir até as 19h. A convenção será conjunta com outros partidos que fazem parte do arco de alianças à candidatura de Braga. São eles: PT, PCdoB, PDT, PPS, PRB, PSDC, PPL e PTB. O evento será realizado no Manaus Show Clube, na avenida Noel Nutels, no bairro Cidade Nova, Zona Norte.

A convenção do Pros, do governador José Melo, também será coletiva, segundo o secretário da sigla, Radyr Júnior. O evento vai reunir também: PSD, DEM, PTN, PSC, SDD, PTdoB, PTC, PRTB, PEN, PRP, PHS e PSL. O encontro será na casa de show Chariot, na avenida Max Teixeira, também na Cidade Nova, com início previsto para as 10h e término por volta das 19h.

O PSDB vai oficializar apoio à candidatura de José Melo e oficializar seus candidatos ao parlamento de manhã. A reunião tucana está marcada para acontecer entre as 7h e 12h na sede do partido, na rua Rio Javari, no Vieiralves. Segundo a assessoria do partido, os tucanos estarão presentes na convenção do Pros. O PMN marcou para iniciar às 19h e terminar às 22h sua convenção no Da Vinci Hotel, na rua Belo Horizonte, no bairro Adrianópolis.

O PCB se reúne às 18h30 na Escola Normal Superior da UEA, na avenida Djalma Batista, com a presença de membros do PSTU. Os partidos terão até o dia 5 para fazer o registro das candidaturas no TRE-AM.