Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Problemas na rodovia AM 010 tornam a viagem arriscada

A pista de 265 KM que liga Manaus a Itacoatiara, e promove acesso aos municípios de Rio Preto da Eva, Silves e Itapiranga, está em completo caos e propícia à acidentes

Equipes da Seinfra estiveram trabalhando no KM 39, após o barro deslizar para o meio da pista, bloqueando parte da via. Há perigo nos KMs 44, 110 e 212

Equipes da Seinfra estiveram trabalhando no KM 39, após o barro deslizar para o meio da pista, bloqueando parte da via. Há perigo nos KMs 44, 110 e 212 (Suzana Melo)

Buracos de todos os tamanhos, pontos de deslizamento nos quais o barro despenca na pista, água que começa a transbordar dos lagos situados na orla da via, além de uma sinalização precária. Este é o perfil dos 265 quilômetros da rodovia AM 010, que liga Manaus a Itacoatiara, e promove acesso aos municípios de Rio Preto da Eva, Silves e Itapiranga.

A estrada possui trechos bastante esburacados, dentre os mais críticos, as proximidades do KM 100 e 164. Nestes pontos, para desviar das crateras, muitas vezes os condutores são obrigados a transitar pela contramão.

O motorista também enfrenta a falta de sinalização na via. Sem iluminação, é impossível ver os buracos e, quando há sinalização horizontal, ela quase não é visível à noite.

Quanto a sinalização vertical, muitas placas marcando a quilometragem estão danificadas ou apagadas, assim como a placas indicativas para as vias de acesso aos demais municípios, como Silves e Itapiranga.

Mas estes são apenas alguns dos problemas de quem precisa trafegar na rodovia, principalmente em dias chuvosos. Em alguns trechos dos KMs 44, 110 e 212, podem ser identificados pontos de deslizamentos que oferecem perigo diante de um temporal. Na última semana, equipes da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) estiveram trabalhando no KM 39, após o barro deslizar para o meio da pista, bloqueando parte da via. Dois caminhões e um trator eram utilizados por funcionários que retiravam a terra e mato e despejavam o material na orla na rodovia.

No KM 26, o lago situado a margem da via transbordou e ocupa parte da pista de quem segue a Itacoatiara. Junto com a água, barro que já se transformou em lama e perigo de derrapagem.

Na última quarta-feira, o condutor de um Siena prata, de quatro portas, foi vítima da ameaça na pista, nas proximidades do ramal Bons Amigos. O veículo derrapou e entrou no lago. O acidente não foi registrado pela polícia, que também não soube informar o que aconteceu no local ou se houve feridos.

Outros lagos ao longo da rodovia também já demonstram o efeito da cheia e das chuvas e pedem atenção das autoridades. Na comunidade Lindóia, ao lado do rio Urubu, várias casas estão com a água na soleira das portas e quintais submersos. Para a água chegar à pista é uma questão de tempo.

Previsão de chuva

No que depender das previsões do Sistema de Proteção da Amazônia, os motoristas devem redobrar a atenção na estrada. O metereologista Lucas Mendes explicou que estamos ainda na primeira dezena de maio e já atingiu-se o padrão climatológico de chuvas para o mês. A tendência é que maio supere a média esperada.

O Instituto Nacional de Metereologia informou que os próximos sete dias indicam chuvas acima da média para a região entre Manaus e Itacoatiara.

O presidente do Departamento de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), Leonel Feitoza, informou que, ainda na última semana, técnicos do Detran-Am percorreram a rodovia mapeando os pontos críticos para a implantação de uma sinalização emergencial visando alertar os motoristas para o risco de deslizamentos durante as chuvas e derrapagem na pista, por conta da água que começa a transbordar dos lagos. Segundo ele, o trabalho de sinalização destas áreas de risco começa nesta semana.

Serão R$ 12 milhões em sinalização

O presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza, disse que o órgão já dispõe de um projeto amplo para a via, que prevê desde a sinalização horizontal e vertical da via, até a implantação de telefones de emergência, a cada cinco quilômetros da rodovia, que terão linha direta com polícia, bombeiros e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Ainda segundo ele, por conta do alto custo do projeto, o cronograma será executado por etapas e a primeira vai contemplar os 87 quilômetros do trecho entre a barreira e o município de Rio Preto da Eva, que já recebeu sinalização vertical, horizontal e semafórica em toda a extensão da rodovia no perímetro urbano. “Só neste trecho serão investidos R$ 12 milhões”.