Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Receita Federal arrecada R$ 1,1 bi no mês de maio em Manaus

Esse valor representa um acréscimo de 15,87% se comparado ao mesmo período de 2013, quando o órgão somou R$ 959.898.935 milhões

Receita libera consulta ao primeiro lote de restituições do IRPF 2013 na segunda-feira

Esse valor representa um acréscimo de 15,87% se comparado ao mesmo período de 2013 (Reprodução/Internet)

Maio foi um mês muito bom para a arrecadação de tributos federais na capital amazonense. A Delegacia da Receita Federal em Manaus arrecadou, em maio de 2014, o montante de R$ 1.112.299.000 bilhões.

Esse valor representa um acréscimo de 15,87% se comparado ao mesmo período de 2013, quando o órgão somou R$ 959.898.935 milhões.

Desse total, os tributos que se destacam são as Receitas Previdenciárias, com R$ 313 milhões arrecadados; a Cofins, que somou R$ 300 milhões e o IRPJ, com R$ 162 milhões.

Em relação ao ano anterior (2013), as Receitas Previdenciárias e a Cofins tiveram um incremento, respectivamente, de 9,64%, de 7,60%. O IRPJ registrou aumento de 51,45%.

Acumulado

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano (janeiro a maio), a arrecadação do Fisco federal somou R$ 5.604.933.650 bilhões, contra R$ 4.748.679.989 em 2013, valor que representa um acréscimo de 18,03%.

Em relação à participação na 2ª Região Fiscal, composta por todos os estados do Norte, exceto Tocantins, a DRF/Manaus foi responsável por 45,04% de toda a arrecadação de maio, que foi de R$ 2.493.957.108 bilhões.

A atividade econômica que mais contribuiu na arrecadação fazendária, em fevereiro, foi “Fabricação aparelhos de recepção, gravação de áudio e vídeo”, que somou de R$ 229.049.583,30, contribuindo com 59,57% do arrecadado.

Por sua vez, a atividade de “Fabricação de motocicletas” registrou queda de R$ 10.446.901,00, que representa uma contribuição negativa de 8,37% em relação ao valor do aumento de arrecadação ocorrido em maio do ano corrente.