Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Novo titular da Semed descarta projeto de tablets nas escolas

Idéia lançada em 2013 pelo ex-titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Pauderney Avelino, está fora dos planos do atual titular da secretaria

Pauderney no dia da inauguração da escola em que tablets estão no cotidiano

Pauderney no dia da inauguração da escola em que tablets estão no cotidiano (Reprodução/Internet)

A distribuição de tablets para cada um dos 230 mil alunos da rede municipal de ensino prometida no ano passado pelo ex-titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Pauderney Avelino, foi descartada pelo atual secretário da pasta, Humberto Michiles.

A promessa foi feita em julho de 2013, durante a inauguração da primeira escola 100% digital do País, a Vicente de Paula, no bairro Japiim I, na Zona Sul.

Michiles assumiu a secretaria em dezembro do ano passado depois que Pauderney deixou o cargo, no qual passou pouco mais de 11 meses, para reassumir o mandato de deputado federal. Michiles afirmou que a Semed não tem orçamento ou disponibilidade financeira para atender o projeto anunciado por seu antecessor.

Ele esclareceu que existem outras prioridades a serem atendidas na rede municipal de ensino, tais como, a melhoria da qualidade da educação com o reforço escolar e, principalmente, o preenchimento do quadro de professores das escolas. Segundo ele, o que os diretores de escolas municipais pedem de profissionais é o mínimo que deve ser oferecido para não prejudicar a educação dos alunos.

“Não temos previsão no orçamento para isso. Talvez ele (Pauderney) tenha cogitado esse projeto para num momento oportuno ser uma meta. Mas hoje não temos essa disponibilidade orçamentária e financeira nesse sentido”, disse.

De acordo com Michiles, a Semed está desenvolvendo um trabalho em parceria com uma empresa de consultoria para identificar quais são as principais prioridades das escolas. A empresa, segundo o secretário, está responsável pelo levantamento que servirá para montar um plano de ação para sanar as dificuldades e melhorar a rede pública municipal de ensino.

“Estamos seguindo rigorosamente esse processo e buscando cumprir as prioridades. Evidentemente que seria muito bom e uma satisfação poder doar um tablet para cada aluno, mas isso é preciso estar atrelado ao desenvolvimento do aluno, ao crescimento da escola e a melhoria da qualidade da educação”, afirmou.

Ele complementou que caso o projeto fosse colocado em prática não poderia parecer um simples “agrado” aos alunos e precisaria seguir um objetivo estabelecido por uma diretriz educacional. “Não poderia haver a mera distribuição de um tablet no sentido de agradar. Temos primeiro que preencher o quadro de funcionários das escolas que é o básico e corriqueiro”, disse.

Projeções

A meta, conforme anunciado pelo ex-titular da Semed, Pauderney Avelino, era que todas as 200 escolas da rede municipal de ensino tivessem presença (chamada de alunos) digital, além de internet banda larga de 10 MB, num período de seis meses, entre julho a dezembro do ano passado.