Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Eleições 2014: Candidaturas ao Governo do Estado do Amazonas são definidas

Governador José Melo e o senador Eduardo Braga tiveram as candidaturas ao Governo do Estado do Amazonas confirmadas no último dia de convenção

  • Durante o seu discurso, na convenção, o governador José Melo não citou quem apoiará na eleição para presidente
    FOTO: Érica Melo
  • O senador Eduardo Braga, durante a convenção do PMDB, pediu votos para a reeleição da presidente Dilma Rousseff
    FOTO: Evandro Seixas

Sem nenhuma surpresa, o governador José Melo (Pros) e o senador Eduardo Braga (PMDB) confirmaram, nesta segunda-feira (30), em convenção, os nomes dos deputados federais Henrique Oliveira (SDD) e Rebecca Garcia (PP), respectivamente, como seus candidatos a vice nas chapas para o Governo do Amazonas.

O que José Melo não quis tornar público é se vai ou não pedir votos no Amazonas para a presidente Dilma Rousseff (PT). Em seu discurso, o governador não tocou no nome da presidente, a quem já prometeu apoio. E quando questionado sobre o assunto, Melo não quis responder se tem candidato ao Planalto.

O vice-presidente regional do Pros, deputado estadual Sidney Leite, também não falou em nomes, mas garantiu que a sigla vai pedir voto para um candidato à Presidência da República. “O Pros não vai ser neutro. Vai ter um candidato a presidente”, afirmou o parlamentar.

O secretário extraordinário de Estado e irmão José Melo, Evandro Melo (Pros), disse que o irmão ainda não decidiu se vai apoiar a reeleição de Dilma Rousseff. Nacionalmente, a sigla do governador selou apoio à reeleição da petista.

Confirmado como candidato a vice de Melo, Henrique Oliveira disse que, ao compor com o governador, desistiu da pré-candidatura ao governo, mas não do “projeto de transformar o Amazonas”. “E por que o Melo? Porque ele é o caminho mais perto (para isso). Eu conheço o coração desse homem”, declarou.

Emocionado, Melo disse que não se sente mais como “um pregador no deserto”. E pediu ao público que o adotem como candidato. “Saiam daqui com o entusiasmo que eu estou. Me ajudem. Me adotem. Nós vamos ganhar essa eleição”, declarou o governador.

Na convenção de Braga, o nome do deputado Francisco Praciano foi confirmado como candidato a senador, apesar da pressão da executiva nacional do PT para que ele desista da candidatura. “A executiva estadual ratifica essa decisão. Há uma discussão em nível nacional. A estadual não aceita outra posição que não seja essa e acredito que não haverá intervenção”, disse Praciano.

Ao discursar, e sem citar nomes, Braga criticou as administrações dos seus sucessores. O senador justificou a candidatura como a “continuidade do projeto” iniciado na gestão dele no governo e das gestões petistas no Governo Federal de desenvolver o Amazonas. “Foi comigo no governo, com o Lula e Dilma na presidência que essa história começou a mudar”, sustentou. O presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), participou da convenção.

Dois chapões disputam as oito vagas da Câmara

“Renovação e experiência”. Esse é o nome que a coligação majoritária capitaneada por Eduardo Braga, Rebecca Garcia e Francisco Praciano adotou. Para conquistar cadeiras da Câmara de Deputados, a estratégia da aliança é lançar o “chapão” com todos os partidos. Para eleger deputados estaduais, a princípio, os 10 partidos da aliança se dividiram em quatro grupos. A “frente ampla”, como está sendo chamada a coligação com o maior número de partidos, reunirá PMDB, PT, PP, PTB e PRB.

O PDT, de Amazonino Mendes, e o PPS, de Hissa Abrahão, vão sair unidos na corrida para a eleição de deputados estaduais. Os nanicos PPL e PSDC sairão juntos. Já, o PCdoB vai sair sozinho na busca de vagas à ALE-AM.

A coligação “Fazendo mais pelo Amazonas”, de José Melo, Henrique Oliveira e Omar Aziz dividiu em cinco frentes os candidatos a deputados estaduais das 16 legendas do arco de aliança do grupo. Ato todo, 325 candidatos da coligação vão disputar vagas na Assembleia Legislativa (ALE-AM).

Para disputar as oito vagas na Câmara Federal, a coligação “Fazendo mais pelo Amazonas” também optou por lançar apenas uma chapa. No todo, 24 nomes vão entrar na disputa por uma vaga no parlamento em Brasília. Fazem parte do arco de aliança fechado por José Melo: Pros, PSD, PSDB, DEM, PHS, PEN, PR, SD, PSL, PTdoB, PRP, PV, PTC, PSC, PTN e PRTB.

“O meu candidato é o Aécio Neves”, diz Prefeito de Manaus, Artur Neto

Ao contrário de José Melo, o prefeito de Manaus e principal cabo eleitoral do governador, Artur Neto (PSDB), usou o palanque do aliado para criticar a falta de ajuda do Governo Federal a Manaus. E disse que quer ver o senador mineiro Aécio Neves (PMDB) eleito presidente da República. “Quero que o Aécio vença para acabar com esse cerco econômico feito a Manaus”, disse Artur.

Na saída da convenção do Pros, na Zona Norte de Manaus, Artur disse que não poderia responder por Melo sobre qual candidato a presidente da República terá espaço no palanque do governador. Mas que ele tem candidato. “O meu candidato é o Aécio”, sustentou o tucano.

Questionado se ficará insatisfeito se Melo preferir Dilma a Aécio, Artur disse que tem outras preocupações. Mas insinuou que o governador ainda tem tempo para se posicionar sobre o tema. “Eu me preocupo com Manaus, com o Amazonas e com o Brasil. Mas essa pergunta você faça a ele (Melo). Mas tudo na sua hora e no seu tempo”, declarou Artur Neto.

Blog - Amazonino Mendes, ex-governador, cabo eleitoral de Eduardo Braga e Praciano

 “Se eu tivesse um milhão de votos, eu daria esse um milhão de votos ao Praciano. Não apenas por sua qualidade pessoal, pela sua grandeza, pela sua retidão. Um homem totalmente despido de ganância. Um homem claro, luminoso. Só isso já justificaria, mas hoje o Praciano é a garantia que nós temos de que na tribuna do Senado uma voz qualificada, independente e forte (...) Vou votar pela primeira vez na vida no PT”, disse Amazonino Mendes. “Essa mão já foi à urna algumas vezes e lá votou em branco. Pouca gente sabe disso. É um segredo que guardo comigo. Essa mão é danada. Ela não se entrega (...) Nada impedia, se eu tivesse convencimento, de estar no outro palanque. Todos passaram por aqui (aponta para sua mão direita). Mas, meu irmãos, eu não aguento mais ver os hospitais vazios. Não aguento mais a mordaça que colocaram nas informações, não aguento mais tanta inverdade aparecer como triunfo, coisas boas (...). O que eu conversei com o Braga, até me arrepio. Ele está preparado. Eu gostei muito do discurso da Rebecca”, disse Amazonino. Ele afirmou, na convenção de Braga, que não vai disputar nenhum cargo na eleição.