Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Número de empresas cresce, mas salários diminuem no AM, segundo dados de pesquisa feita pelo IBGE

O incremento de 5.348 empresas foi resultado de avanços considerados em atividades que se sobressaíram na economia do Estado do Amazonas

Segundo a pesquisa, o salário médio mensal do empregado amazonense caiu

Segundo a pesquisa, o salário médio mensal do empregado amazonense caiu (Quadro: Heli Mascarenhas )

Em cinco anos, o número de empresas atuantes no Amazonas cresceu 19,1%, passando de 27,9 mil em 2008 para 33,3 mil em 2012. O incremento de 5.348 empresas foi resultado de avanços considerados em atividades que se sobressaíram na economia do Estado. O que possibilita uma leitura exata das atividades que se destacaram.

O grupo atividades imobiliárias cresceu no período 94,2% e foi aquela que teve maior crescimento. O que reflete exatamente o boom do mercado imobiliário acontecido até 2013 principalmente em Manaus. A construção foi a segunda atividade que mais cresceu (62,8%), passando de 1104 para 1797 empresas. Confirmando o fato de que o mercado imobiliário (construção e venda) foi aquele que teve maior destaque econômico num período de cinco anos.

Outros grupos de atividade também se destacaram: industria extrativa (53,3%), administração pública (45,1%). E assim como diversas outras. A pesquisa do IBGE subdivide em 21 grupos de atividade. E somente agricultura (-14,9%) e educação (-1,3%) tiveram redução no numero de empresas.

Dois dos mais importantes grupos: o comércio e a indústria de transformação tiveram crescimento nos últimos cinco anos. O comércio passou de 14,1 mil empresas em 2008 para 16,3 mil empresas em 2012. Foi um crescimento de 15,6%. Já a indústria de transformação passou de 2,1 mil empresas em 2008 para 2,3 mil em 2012. Um crescimento de 8,2%.

O crescimento da quase totalidade dos grupos de atividades revela o bom desempenho da economia local no período. O que se refletiu no crescimento do PIB amazonense.

Ocupação

Segundo a pesquisa Cadastro Central de Empresas do IBGE, o número de pessoal ocupado cresceu 12,1% de 2008 a 2012. Passando de 558 mil em 2008 para 625,6 mil em 2012. Sendo a indústria extrativa responsável pelo maior crescimento percentual (934%). Saúde humana e serviços sociais tiverem o segundo maior incremento percentual (89,3%).

Por outro lado, administração pública, defesa e seguridade social, perderam no mesmo período, 49,1 mil postos de trabalho. Já indústria de transformação amazonense criou 16,4 mil postos de trabalho formal de 2008 a 2012, um crescimento de 12,9%. Com isso, passou de 127,6 mil para 144,1 mil pessoas ocupadas.

Salário médio

Caiu o salário médio mensal do empregado amazonense em -3,2% de 2010 para 2012. Passando de 3,1 salários mínimos em 2010 para 3 salários mínimos em 2012. As atividades imobiliárias foi o grupo que teve a maior redução (66,7%). Passando de 6 para 2 salários mínimos de média.