Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Presidenciável Eduardo Campos defende modelo alternativo à Zona Franca de Manaus

Pré-candidato do PSB à Presidência da República visita Manaus nesta sexta-feira (25), na companhia da sua companheira de chapa, a ex-senadora Marina Silva

Ex-governador Eduardo Campos disse que não se pode negar o direito das pessoas de ir e vir ao defender a conclusão da BR-319

Ex-governador Eduardo Campos disse que não se pode negar o direito das pessoas de ir e vir ao defender a conclusão da BR-319 (Divulgação)

O presidenciável Eduardo Campos (PSB/Rede), que recebe nesta sexta-feira (25) o diploma de Mérito Cidade de Manaus por criar um entreposto de incentivo aos produtos da Zona Franca em Pernambuco, declarou, nesta quinta-feira (24), que o modelo industrial é insuficiente para garantir a preservação da floresta e da economia do Estado. Sobre a construção da BR-319, Campos divergiu da candidata a vice na chapa dele, Marina Silva (PSB/Rede), ao afirmar que “não se pode negar às pessoas o direito de ir e vir”. O ex-governador de Pernambuco concedeu entrevista a A CRÍTICA nesta quinta-feira (24) à tarde por telefone.

Eduardo Campos afirmou que já ouviu posicionamentos contrários e favoráveis à construção da estrada. Marina Silva é contra. A BR-319 é uma rodovia federal que deveria ligar por terra Manaus ao resto do País e está com a obra parada há seis anos após ter sido retomada em 2008. “Não se pode dizer não e nem fazer de qualquer jeito. É preciso fazer. E fazer da maneira correta. Há vários gêneros de solução em debate, como estrada parque, modais. Mas temos que conseguir uma saída e vencer os impasses. Não se pode deixar a população sem o direito de ir e vir, de se transportar e de transportar suas mercadorias”.

Em relação à economia do Estado, Campos afirmou que é necessário analisar novas alternativas à ZFM. “Eu acho que precisamos olhar para novas fronteiras econômicas. A proteção da Amazônia só é possível se a gente compreender que a defesa pode se dar numa aposta de incentivo ao conhecimento, na formação de pessoas e de ocupação de novas fronteiras econômicas como a biotecnologia e a nanotecnologia”, declarou Eduardo Campos.

O presidenciável afirmou que este tipo de incentivo já ocorre em outras regiões do País, mas, segundo ele, é necessário expandir para os Estados periféricos. “Para que se tenha um crescimento mais equilibrado. É tempo de defender a industrialização, mas também de se posicionar sobre o Norte brasileiro em setores estratégicos para que, em 20, 30 anos, esses setores não estejam concentrados nas regiões mais ricas”, disse.

Eduardo Campos inicia a agenda em Manaus às 9h, na Câmara Municipal, o Diploma de Mérito Cidade de Manaus. A homenagem foi proposta pela bancada do PSB na CMM.

Palanque no Amazonas só em junho

Questionado sobre o palanque estadual do PSB no Amazonas, Eduardo Campos declarou que o mesmo ainda está em construção e que as definições de alianças estaduais só devem finalizar em junho. No Estado, o deputado estadual Marcelo Ramos (PSB) e o vice-prefeito Hissa Abrahão (PPS) se apresentam como pré-candidatos ao palanque de Eduardo Campos e Marina Silva no Amazonas.

“Os palanques estaduais serão discutidos nos Estados. Isso só vai estar concluído em junho, vamos discutir esse assunto aí (em Manaus). É um processo que será discutido com todos. Claro que gostaríamos que os partidos que estão juntos nacionalmente repetissem a aliança nos Estados, mas vamos respeitar a autonomia e as deliberações de cada Estado”.