Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Em tempo de cheia, prefeitos fazem contratos milionários sem licitação no interior do AM

Os prefeitos de Barcelos, Boca do Acre, Careiro da Várzea e Manacapuru firmaram contratos de R$ 13,2 milhões sem licitação para um festival de compras

Cerca de 80% dos moradores foram afetados pela cheia dos rios

O município de Careiro da Várzea (a 29 quilômetros de Manaus) foi o que contratou os maiores valores sem licitação (Luiz Vasconcelos)

Administrando sob decretos de emergência, os prefeitos de Barcelos, Boca do Acre, Careiro da Várzea e Manacapuru firmaram entre o dia 5 e 12 de junho contratos de R$ 13,2 milhões sem licitação.

Os quatro municípios declararam Estado de Emergência por conta da cheia. A situação anormal é uma das condições que desobrigam os administradores de fazer licitação.

O município de Careiro da Várzea (a 29 quilômetros de Manaus) foi o que contratou os maiores valores sem licitação. Para fazer obras de terraplanagem, pavimentação e drenagem de ruas, a empresa Francisco Neves dos Reis vai receber da prefeitura R$ 5,8 milhões.

A prefeitura de Careiro da Várzea também vai pagar sem licitação R$ 871,4 mil para a empresa Chirano e Rodrigues Construção Civil e Comércio construir passarelas de madeira nas ruas alagadas.

A empresa D A Comércio de Materiais de Construção ganhou contrato sem licitação da prefeitura de Careiro da Várzea no valor de R$ 895,1 mil. Segundo o despacho de homologação do contrato publicado no dia 2 de junho, os produtos só serão solicitados da empresa de acordo com a necessidade da administração.

Localizado em área de várzea, a situação de emergência no município do Careiro da Várzea é uma constante todos os anos. A cidade é governada pelo prefeito Pedro Duarte Guedes.

Pedro Guedes declarou Situação de Emergência no dia 8 de maio desse ano. No decreto nº 026/2014, o prefeito defendeu que o fenômeno natural ocasionava danos à agricultura, pecuária e comércio.

Boca do Acre

O município de Boca do Acre, localizado a 1.038 quilômetros de Manaus, dispensou licitação para pagar R$ 4,6 milhões à empresa J. B. Construções para recuperar estradas vicinais. O contrato, teve o aval da assessoria jurídica da prefeitura.

A prefeitura de Boca do Acre decretou Situação de emergência em abril desse ano. A cidade é administrada por Iram Lima (PSD), presidente da Associação Amazonense dos Municípios (AAM).

A prefeitura de Barcelos (a 396 quilômetros de Manaus) dispensou licitação no valor de R$ 498,4 mil para alugar transporte escolar rodoviário e fluvial. A empresa que vai receber o valor é a Lomaq - Transportes e Construções.

Em Manacapuru - a 84 quilômetros de Manaus -, o prefeito Jaziel Nunes de Alencar (Pros) não fez licitação para comprar R$ 240 mil de madeiras da empresa Hardboard da Amazônia. O mesmo tipo de contrato foi firmado com a empresa T N P Construções para construir passarelas de madeira, no valor de R$ 234 mil.