Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Após morte de operário, MPT pede interdição imediata das obras na Arena da Amazônia

Um operário morreu neste sábado (14) depois de cair de uma altura de 35 metros enquanto trabalhava na montagem da cobertura do estádio. O MPT também requer multa de R$ 100 mil caso haja descumprimento da interdição

Gramado já esteve mais “queimadinho”. Com as chuvas, vai ficando cada vez mais verde

O local servirá para a realização dos jogos da Copa do Mundo em Manaus (Antônio Lima)

O Ministério Público do Trabalho (MPT) pediu na Justiça no final da tarde deste sábado (14) a interdição urgente e imediata das obras de construção do estádio Arena da Amazônia Vivaldo Lima, local de realização dos jogos da Copa do Mundo em Manaus. O pedido ocorreu após um operário morrer na madrugada deste sábado enquanto trabalhava nas obras do estádio.

Em forma de ação civil pública, o MPT requer a interdição de todos os setores das obras na Arena da Amazônia que envolvam atividades em altura. O operário Marcleudo de Melo Ferreira, 22, morreu após cair de uma altura aproximada de 35 metros enquanto trabalhava, de madrugada, na montagem da cobertura do estádio.

Para o MPT, a interdição no local só deve ser encerrada após a empresa responsável pela obra, Construtora Andrade Gutierrez S/A, comprovar mediante laudo detalhado o atendimento dos requisitos mínimos de segurança e das medidas de proteção para trabalho em altura, previstos nas normas regulamentadoras nº 35 e 18 do MTE.

A ação civil pública protocolada na Justiça do Trabalho é assinada pelos procuradores do Trabalho Maria Nely Bezerra de Oliveira, Renan Bernardi Kalil e Jorsinei Dourado do Nascimento. No pedido, o MPT ainda requer a fixação de multa diária no valor R$ 100 mil, caso haja descumprimento da medida judicial, e que a interdição não comprometa o pagamento dos salários dos operários.

A Construtora Andrade Gutierrez S/A. informou, por meio de nota, que as obras no estádio já foram paralisadas e que uma investigação interna será feita para apurar as causas do acidente. O resultado da investigação deverá ser entregue à UGP-Copa, organizadora do evento Copa do Mundo em Manaus.

Duas mortes

O operário Marcleudo Ferreira morreu no Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, para onde foi encaminhado após sofrer a queda. Além dele, outro operário das obras da Copa em Manaus morreu neste sábado (14). José Antônio da Silva Nascimento, 49, faleceu por volta das 12h enquanto trabalhava na construção Centro de Convenções do Amazonas (CCA), localizado ao lado da Arena da Amazônia.

José Nascimento teria sofrido um infarto por estar trabalhando sob pressão. Ele era funcionário da Empresa Conserge e estava prestando serviço no CCA. Outros operários das obras da Copa em Manaus temem que outras mortes continuem acontecendo. Eles pediram providência dos órgãos de fiscalização como o Ministério Público do Trabalho.