Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

O que ainda dá pra fazer? (Especial Copa do Mundo em Manaus – Parte 2)

Durante Fórum organizado por A CRÍTICA, autoridades públicas ligadas ao projeto de realização do Mundial debateram quais as missões que se autoimpuseram para receber bem as seleções e os turistas que virão a Manaus prestigiar os jogos

Problemas na reforma do Aeroporto Eduardo Gomes foram foco de polêmicas

Problemas na reforma do Aeroporto Eduardo Gomes foram foco de polêmicas (Clóvis Miranda)

Confira agora a segunda parte do especial de A CRÍTICA sobre a realização da Copa do Mundo em Manaus.

Não deixe de conferir também as outras partes:

Copa do Mundo em Manaus: terá valido a pena? (Parte 1): http://acritica.uol.com.br/noticias/Copa-Mundo-Manaus-valido-Especial_0_1081691834.html

Legado, qual legado ficará? (Parte 3): http://acritica.uol.com.br/noticias/Legado-Especial-Copa-Mundo-Manaus_0_1081691839.html

As promessas esquecidas (Parte 4): http://acritica.uol.com.br/noticias/esquecidas-Especial-Copa-Mundo-Manaus_0_1081691840.html

E a promessa de ter um time na Série A? (Parte 5): http://acritica.uol.com.br/noticias/Serie-Especial-Copa-Mundo-Manaus_0_1081691841.html

Arena

Miguel Capobiango – Coordenador da UGP-Copa
“O que está projetado. A Arena da Amazônia está na etapa final de conclusão. Isso promove uma infraestrutura adequada para poder fazer uma bela transmissão de imagens. Durante o evento, teremos um volume muito grande de jornalistas internacionais aqui e temos que dar a melhor condição para que cada profissional de imprensa possa operar bem o seu trabalho, levando as imagens de Manaus para o mundo inteiro, que é o que nos interessa. Temos outra atividade relacionada ao acesso das pessoas que também está sendo executada em parceria com a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) e Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans). E esse plano de mobilidade é o que vai servir de base para todos os outros planos operacionais que estão em desenvolvimento, a exemplo do plano de segurança, de saúde, de acompanhamento turístico, de preparação dos voluntários que vão dar suporte a todas essas atividades citadas. O Centro de Convenções do Amazonas é uma obra que está sendo acompanhada pela Empresa Estadual de Turismos do Amazonas (Amazonastur), mas nos dias de evento, o espaço será cedido à administração da Fifa e funcionará como local de apoio. Nós teremos ali, por exemplo: a organização de segurança da Fifa, a organização do Centro de Infância – que diz respeito àquelas crianças que são preparadas para entrar com os jogadores em campo e teremos toda a atividade de voluntariado da Fifa. O nosso voluntariado, do Brasil, estará funcionando no prédio da reitoria da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), na av. Djalma Batista. Parte do Sambódromo, foi cedida para funcionar como Centro de Mídia. A parte de broadcast - que se trata da transmissão das imagens - estará lá e mais toda a atividade relacionada a estacionamentos e a parte de segurança que vai ser preparado naquele entorno”.

Aeroporto

Rubem Lima – Superintendente Regional da Infraero em Manaus
“No aeroporto Eduardo Gomes, estamos trabalhado com foco na Copa, agora, para a abertura do novo saguão de embarque do aeroporto em posições remotas (sem o auxílio da ponte de embarque). Vamos concluir essas obras em abril. A partir de 22 de fevereiro, começaremos a operar na nova área de desembarque doméstico, que fica no mesmo nível do estacionamento. Em relação ao estacionamento, temos 75% dele concluído. Dentro disso, já temos mais de 1,6 mil vagas e na conclusão total, serão 2.674. Estamos trabalhando no Terminal 2, que é o Eduardinho, para a aviação regional. Ele está 80% disponível para operação e vamos concluir a obra em março. Em relação ao número de passageiros que deverão passar no aeroporto, na época da Copa, ainda não temos. Em 2013, a movimentação no aeroporto Eduardo Gomes chegou a 3,2 milhões de passageiros/ano. E até abril, nós vamos estar preparados para uma capacidade acima de 9 milhões de passageiros/ano. O aeroporto Eduardo Gomes estará preparado para atender a pressão de turistas. Tem que haver uma abertura para que mais táxis possam chegar ao aeroporto. Para isso, nós vamos ter que fazer uma reunião conjunta com as empresas e órgãos para trabalhar mais pontualmente e solucionar esse problema e dar condições melhor ao usuário do aeroporto durante a Copa”.

Esporte

Fabrício Lima – Secretário Municipal de Esportes
“Vamos iniciar uma obra no entorno do CT do Coroado, em parceria com a UGP-Copa, não só para atender a Copa, mas também a comunidade, após o evento. O CT do Coroado será um estádio que vai atender jogos do Campeonato Amazonense, e é um grande legado para Zona Leste, desafogando o estádio do Sesi, que hoje é o grande palco do Campeonato Amazonense. A obra começará a ser executada na segunda-feira e a ideia é entregar junto com o CT. Será onde funciona hoje a Mini Vila Olímpica do Coroado. De obra, hoje é o que nós temos da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel). Não haverá nenhum projeto de esporte e lazer durante a Copa. A ideia foi retroagir o nosso calendário esportivo justamente para somar esforços com os demais órgãos envolvidos, principalmente na questão do voluntariado, que diz respeito à nossa secretaria. Apesar de ser um evento esportivo, a Semjel é a que menos trabalha no período que antecede a Copa. Nós acabamos funcionando com a questão do voluntariado, no que diz respeito ao receptivo”.

Trânsito

Paulo Henrique Martins – Diretor-presidente do Manaustrans
“Equipes do Manaustrans acompanharam a Copa das Confederações para buscar experiências. Nos dias de jogos em Manaus será feriado. Então, nós vamos trabalhar com um número reduzido de veículos nas ruas. Durante todo o mês da Copa, nós teremos o Fan Fest na Ponta Negra. Este é outro cenário. É comum nos dias de jogos do Brasil principalmente, a cidade ficar cheia de pontos de festas, de ruas fechadas. E isso parece um pouco com o Carnaval e período de Festa Junina. Este é outro cenário. Nós temos outro, diferente de todos. Estamos trabalhando com as possibilidades de manifestações. Isso foi colocado no planejamento. Outro ponto é a forma de como vai ser o deslocamento até à Arena da Amazônia. Só vai chegar quem tiver ingresso, pois o estádio vai ter um perímetro de segurança. Quem não tiver ingresso não vai poder ir lá para tirar foto em horário de jogo. Esse perímetro fica restrito à Praça do Dom Pedro, aquela área da Vila Olímpica (perto do Hospital de Medicina Tropical, em direção à Arena). Fica restrito também na rua Loris Cordovil com a avenida Vivaldo Lima. Na Constantino Nery – do terminal rodoviário e próximo do clube Sírio Libanês e na Djalma Batista – ali do viaduto Ayrton Senna (perto do DNIT), próximo ao Amazonas Shopping e ao Eldorado. As pessoas que moram dentro desse perímetro serão credenciadas para acessarem suas casas. O veículo terá um selo especial. Fora desse perímetro, vamos ter os pontos de chegada, que é o que nós estamos chamando de fluxos tangentes. Esse diz respeito àquela pessoa que vai transitar nessa área para deixar algum espectador, por exemplo, e também terá uma operação de trânsito específica e diferenciada. Também será colocada uma nova sinalização turística e está sendo construído um complexo viário na entrada da avenida do aeroporto”.

Dom Pedro

Márcio Noronha – Secretário Munic. de Governo
“Nós decidimos arriscar e revitalizar a Praça do Dom Pedro para ficar pronta antes da Copa. Também realizamos as ações de revitalização do Centro e antes da Copa haverá a transferência de parte dos camelôs das calçadas para os shoppings populares”.

Urbanidade

Roberto Moita – Diretor-presidente do Implurb
“A nossa administração levou uma desvantagem nesse processo, porque a gente entrou com direito a um verão e dois invernos. E isso foi uma discussão muito pragmática (realista) no primeiro momento para definir exatamente uma agenda. Um conjunto de obras está sendo finalizado, algumas já foram entregues como a segunda etapa da Ponta Negra, Mercado Municipal Adolpho Lisboa, os corredores viários com nova pavimentação, a requalificação do sistema de transporte. Vai ser cumprida ainda a pavimentação e revitalização das calçadas nos eixos principais envolta da Arena, como da avenida Djalma Batista. E o que cada um cidadão está fazendo? O sentimento de dever do poder público não está na mesma medida que o sentimento de dever do cidadão. Nunca é demais em quatro meses cada um pensar o que pode fazer, como por exemplo, aprimorar o inglês, para dar uma informação numa esquina”.

Cultura

Bernardo Monteiro de Paula – Diretor-presidente da Manauscult
“O que estava realmente na matriz de responsabilidade da prefeitura está quase tudo concluído, que era a 2ª etapa da Ponta Negra, pavimentação de ruas, revitalização do sistema de transporte público, que é o caso do Bus Rapid System (BRS), reforma de três terminais, nova sinalização horizontal e vertical. Uma coisa que incomodava muito o Prefeito era desembarcar no aeroporto e se deparar com paradas abandonadas. É um pacote que já mudou a cara de Manaus”.

Cultura

Robério Braga – Secretário estadual de Cultura

“Não vamos fazer nada que já não tenha sido planejado. No dia 12 de fevereiro vamos divulgar toda a programação cultural de animação da cidade. Houve todo um trabalho de planejamento prévio para compactar ações que vão permitir uma animação cultural diferenciada. Não porque a gente quer mostrar a cidade que a gente não tem, mas queremos mostrar a cidade que a gente tem o ano inteiro, num curto espaço de tempo. O outro ponto é relativo aos equipamentos culturais que a cidade dispõe. Orgulhosamente, podemos dizer que temos museus, centros culturais, biblioteca, teatros e espaços públicos como no Largo São Sebastião, Praça da Polícia, Parque Jefferson Peres e Praça do Congresso que abrigarão, naturalmente, a circulação desse público, fora dos jogos da Copa, no dia de jogo, depois de jogo, durante o jogo. Nós temos convicção que o Teatro Amazonas vai ser altamente demandado. Ele vai passar a ter uma operação diferenciada. E todas as embaixadas desses países (das seleções que jogarão em Manaus) foram articuladas com a SEC para intermediarem ações culturais”.