Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Beleza regional ganha destaque na 20ª edição do Concurso Morena Bela, neste sábado (21)

Exotismo da mulher amazonense, que foge do padrão europeu das passarelas, é valorizado no evento, que faz parte da programação da Feijoada Amigos do Garantido

Qualquer representante do sexo feminino com mais de 18 anos, com cabelos e pele morena pode participar. O traje tribal é exigência comum a todas as concorrentes

Qualquer representante do sexo feminino com mais de 18 anos, com cabelos e pele morena pode participar. O traje tribal é exigência comum a todas as concorrentes (Divulgação)

Os cabelos negros longos, a perna grossa, a estatura baixa, os lábios carnudos. As particularidades da beleza amazonense podem não ser o padrão das passarelas europeias, mas é deste continente que talvez venha grande maioria de seus admiradores. Nesta época de Copa do Mundo, na qual “gringos” e brasileiros aproveitam para (re)descobrir o que há de mais belo por aqui, dois eventos vem para exaltar o exotismo da mulher local.

Em meio à programação da Feijoada do Movimento Amigos do Garantido, marcada para este sábado (21) a partir das 11h30, acontece a 20ª edição do Concurso Morena Bela. Qualquer representante do sexo feminino com mais de 18 anos, com cabelos e pele morena pode participar – as inscrições podem ser efetuadas até uma hora antes do desfile (com início às 14h). O traje tribal é exigência comum a todas as concorrentes.

De acordo com o coordenador do evento, Kid Mahall, não existe melhor momento para colocar a beleza amazônica sob os holofotes. “A gente percebe o quanto nossos turistas se encantam, e dentro do contexto tribal, esta é uma junção muito perfeita”, diz.

Mahall explica que a avaliação é feita na hora do desfile, por voto verbal de uma comissão julgadora formada por parceiros e artistas do Boi Garantido. A vencedora, que irá suceder a vencedora do ano passado, Milena Albuquerque, ganhará uma pedra de rubi banhada em ouro em formato de coração, uma passagem (ida e volta) com acompanhante e ingresso para uma noite do Festival de Parintins.

Show cultural

A mistura de moda, temática amazônica e rock dá o tom da 4ª edição do desfile “Show Cultural”, que irá acontecer no dia 26 de julho no Parque dos Bilhares. Na ocasião, onze estilistas irão mostrar suas produções inspiradas na Amazônia e sustentabilidade. As 26 modelos escaladas também seguem o padrão regional, a fim de dar maior credibilidade para o que será mostrado na passarela. Durante os intervalos do desfile, bandas de rock (Drift e Jack Sempre) animam os convidados com som ao vivo.

Segundo o idealizador do evento, Reginaldo ‘Jack Sempre’ Bentes - também vocalista da banda Jack Sempre - esta é uma oportunidade diferenciada de divulgar o trabalho dos estilistas conterrâneos. E para tanto, as modelos devem retratar de forma fiel a nossa realidade. “Já chega desse negócio de mulher alta e magra. Estamos fazendo roupa para a Região Norte, e isso significa roupas também para baixinhas, do bumbum grande e perna grossa”, opina.

Experiência

O fato de não ter pré-requisitos no padrão europeu possibilitou que meninas com biotipo mais “real” pudessem subir na passarela - e com competência.

A estudante Thaís Finkler desfila para o evento de Jack desde a primeira edição, em 2012. Ela conta que o público local tem comparecido em peso para conferir a proposta. “Não esperava que crescesse tanto. Aumentaram os estilistas, a produção de roupa e o público. Hoje já espero o inesperado, depois de tanto sucesso”, adianta. Já Anatasha Souza, também estudante, irá desfilar pela primeira vez. “Estamos na maior expectativa devido à grande divulgação”.

Jack conta que estas meninas têm a oportunidade de fazer grandes contatos no mundo fashion, os quais podem lhes abrir mais portas no futuro. É o caso da universitária Alexandra Souza: ela sempre quis ser modelo, no entanto, não sabia como perseguir este sonho. “Conheci o Jack e ele me fez o convite. Gostei da experiência de desfilar e hoje quero seguir nesta área, onde pude conhecer muita gente e fazer muitos contatos”.