Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Boi Garantido se sagra bicampeão em Parintins nesta segunda (30)

Em apuração tensa e marcada por protesto do Boi Caprichoso, o bumbá vermelho-e-branco abriu uma vantagem de quase 15 pontos sobre o rival

Garantido encerra 49º Festival de Parintins

Temática da fé indígena encantou espectadores (Marcio Silva)

E a fé conquistou Parintins. A 49ª edição do Festival Folclórico do município, um dos principais eventos culturais do estado e vitrine mundial para a arte e cultura amazônicas, terminou nesta segunda (30) com a segunda vitória consecutiva do boi da Baixa do São José, o Garantido, cujo tema da apresentação, vejam só, foi a fé.

A apuração dos votos no município foi marcada pela tensão, com a retirada de representantes do Caprichoso em protesto à punição sofrida pela agremiação, por não conseguir comprovar em tempo hábil uma denúncia de uso irregular de fogos de artifício por parte do Garantido. O incidente custou ao bumbá 3 pontos na contagem geral.

Na avaliação dos nove jurados – são 10 ao todo, mas o presidente do júri não possui poder de voto – o Garantido abriu 14,5 pontos sobre o rival, na soma de todos os quesitos. Os itens que mais pesaram contra o Caprichoso foram aqueles do chamado “bloco C”, que compreende os aspectos artísticos: Ritual, Tribos Indígenas, Tuxauas, Figuras Típicas, Alegorias, Lenda Amazônica e Vaquejada. Em alguns casos, o Garantido ultrapassou o Caprichoso em mais de cinco pontos na avaliação de um único jurado.

Representantes do boi azul-e-branco apontaram diversas irregularidades no cumprimento do regulamento que rege o Festival e sua avaliação. O descontentamento com a penalidade sofrida foi tão grande que o presidente da agremiação, Joilto Azedo, anunciou a retirada de todos os representantes do bumbá da sala onde seriam lidos os votos dos jurados. O gesto do Caprichoso foi interpretado como de má-fé pela comissão julgadora do festival, uma vez que ambos os bois fizeram uso irregular (isto é, sem o aval do Corpo de Bombeiros do município) de fogos de artifício durante os dias do festival, mas só o boi azul pediu a impugnação do adversário.


Diretoria do Garantido comemora o bicampeonato (Divulgação/Garantido)

A comissão também decidiu não avaliar as apresentações deste domingo, dia 29, uma vez que a forte chuva que caiu sobre o município prejudicou a performance dos bois. Foi tanta água que as apresentações só começaram às 22h, duas horas depois do horário marcado para o início do espetáculo. Caso tivessem decidido por julgar as apresentações normalmente, Garantido e Caprichoso estariam marcados por irrregularidades, já que o primeiro terminou a apresentação após duas horas e 37 minutos (o correto são duas horas e meia) e o Caprichoso em apenas duas horas.

Aspectos da fé e suas manifestações na cultura indígena foram os temas da apresentação do Garantido durante os três dias do festival. Com um ritual que contou com a presença de espíritos das águas, espíritos-homens e espíritos andarilhos, além do transe do pajé André Nascimento em invocação aos deuses, o boi da Baixa encantou a torcida e os turistas que foram à Ilha Tupinambrana.

Em 49 anos de Festival, o Boi Garantido já foi campeão 29 vezes, tendo um empate no ano 2000, além de de um vice-campeonato para o Boi Campineiro, que chegou a ser o terceiro boi na arena do festival no ano de 1982. O Caprichoso tem 20 vitórias.

Confira as fotos do Portal A CRÍTICA sobre a festa dos bois:

Apuração do Festival Folclórico de Parintins

Em clima de festa, Garantido encerra o Festival Folclórico de Parintins 2014

Garantido abre a segunda noite do Festival Folclórico de Parintins 2014

Garantido estreia no Festival de Parintins 2014 apostando na emoção do público

Caprichoso abre a última noite do Festival de Parintins sob chuva mas emociona galera

Caprichoso fecha a segunda noite do Festival apostando na Amazônica histórica

Caprichoso trata sobre mitologias e ritos indígenas na primeira noite do 49º Festival