Log in

Bem-vindo Log out Alterar dados pessoais

Esqueceu a senha?

X

Qualquer dúvida click no link ao lado para contato com a Central de Atendimento ao Assinante

Esqueceu a senha?

X

Sua senha foi enviadad para o e-mail:

Corpo de Jair Rodrigues é velado na Alesp e será enterrado nesta sexta

Cantor morreu vítima de infarto, aos 75 anos, em sua casa, no interior de São Paulo. O sepultamento será às 11h desta sexta-feira (9), no Cemitério Gethsemani, no Morumbi, em São Paulo

Jair Rodrigues de Oliveira nasceu em Igarapava (SP), no dia 6 de fevereiro de 1939

Jair Rodrigues de Oliveira nasceu em Igarapava (SP), no dia 6 de fevereiro de 1939 (Divulgação)

O velório do cantor Jair Rodrigues, que morreu hoje (8) aos 75 anos, em casa, na cidade de Cotia, na Grande São Paulo, começou às 19h, no hall principal da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). O cortejo sairá da Alesp entre as 9h e as 10h de amanhã (9), rumo ao Cemitério Gethsemani, no Morumbi, zona sul da capital paulista, onde será feito o sepultamento às 11h. De acordo com informações publicadas na rede social do músico pela família, a causa da morte foi infarto do miocárdio.

A interpretação de Jair Rodrigues da músicaDisparada, de Geraldo Vandré e Théo de Barros, acompanhado do conjunto Quarteto Novo, no Festival de Música Popular Brasileira de 1966, é considerada um clássico. O cantor nasceu em Igarapava (SP) no dia 6 de fevereiro de 1939. Começou a carreira em 1957, em casas noturnas do interior de São Paulo. A partir de 1960, passou a cantar na capital paulista, participando de shows de calouros como o Programa de Cláudio de Luna (Rádio Cultura), no qual obteve a primeira colocação.

O músico gravou seu primeiro disco em 1962, com duas músicas para a Copa do Mundo: Brasil Sensacional e Marechal da Vitória. Lançou, em seguida, um compacto simples contendo as canções Balada do Homem sem Deus e Coincidência.

Em 2006, Jair Rodrigues foi o artista homenageado no 4º Prêmio Tim de Música, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Recebeu, também em 2006, indicação ao Prêmio Grammy Latino, na categoria Álbum de Samba Brasileiro com o álbum Alma Negra. Ele é pai dos cantores e compositores Jair Oliveira e Luciana Mello.